Sporting rescinde protocolos com claques Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI

Decisão foi tomada “em virtude da escalada de violência que ontem [sábado] culminou com tentativas de agressões físicas a dirigentes e outros adeptos”, durante a vitória no futsal frente ao Leões de Porto Salvo (6-1), no Pavilhão João Rocha, explica a direção do clube.

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de violência” recente.

“O Sporting Clube de Portugal e a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informam que, na presente data, resolveram, com efeitos imediatos, os protocolos celebrados”, pode ler-se no comunicado publicado hoje no sítio ‘online’ dos ‘leões’.

Segundo a mesma nota, a decisão foi tomada “em virtude da escalada de violência que ontem [sábado] culminou com tentativas de agressões físicas a dirigentes e outros adeptos”, durante a vitória no futsal frente ao Leões de Porto Salvo (6-1), no Pavilhão João Rocha.

Outra das razões, segundo o clube, prende-se com o “incumprimento sistemático” destes grupos organizados de adeptos (GOA) da obrigação do cumprimento da Lei, dos estauttuos e regulamentos do clube, patente “nas multas suportadas” pela SAD e clube.

Por fim, o clube realça que cumpriu os protocolos e esperava igual comportamento das claques, que acusa de “faltar sistematicamente no apoio devido aos atletas do Sporting, nomeadamente da equipa principal de futebol”.

Dentro das razões cabem ainda as “ameaças” e outros momentos de violência, contra adeptos, dirigentes ou mesmo atletas, a falta de apoio, a segunda prestação devida da bilhética de 2018/19 e uma série de outras razões.

O Sporting e a SAD decidiram, assim, “terminar, com efeitos imediatos, o protocolo existente com quem violou dolosamente e conscientemente obrigações desse mesmo protocolo”, além dos estatutos e da Lei da República Portuguesa, apontam no comunicado.

O emblema ‘leonino’ termina pedindo a intervenção do Estado na violência no desporto, algo a que apelam também às “mais altas instâncias do futebol mundial, a UEFA e a FIFA”.

Ler mais
Recomendadas

Fórmula 1 quer corridas com zero emissões poluentes até 2030

O plano da Federação Internacional Automóvel (FIA) passa por duas fases distintas: a primeira até 2025, onde a entidade quer que as corridas se tornem mais sustentáveis e depois até 2030 a neutralidade total ao nível do carbono.

Louis Saha: “Premier League pode perder talento para Espanha e Itália por causa do Brexit”

O antigo avançado do Manchester United olha com pessimismo para a saída do Reino Unido da União Europeia e tem dificuldade em aceitar que este processo não vá causar mossa à melhor liga de futebol do mundo.

Adidas vai fechar duas fábricas operadas por robôs em 2020

Anunciadas para aproximar os produtos aos mercados principais da marca, as fábricas da Alemanha e dos Estados Unidos, vão fechar após quatro anos de funcionamento. A Reuters aponta que o encerramento poderá dever-se aos custos terem superado o previsto.
Comentários