PremiumStaples aponta fasquia aos 30 milhões no “Regresso às Aulas”

João Paulo Peixoto, diretor geral da empresa, adianta ao JE que, com a pandemia, as vendas online poderão atingir os 20% durante a campanha. Serviço de recolha e entrega de livros e cadernos para forrar em loja é uma das novidades este ano.

É um clássico. Todos os anos, por esta altura, o caminho do “Regresso às Aulas” também passa pela Staples. A campanha, com este nome, que decorre entre meados de agosto e de outubro, garante uma fatia significativa das vendas totais da empresa de artigos de papelaria e material escolar. Ao Jornal Económico, João Paulo Peixoto, diretor-geral da Staples Portugal, estabelece a fasquia para a campanha em curso, mas salvaguarda que, em tempo de Covid-19, cada dia é um dia novo: “Tendo em conta todas as condicionantes criadas pela pandemia, seria uma excelente campanha se atingíssemos os valores que fizemos o ano passado. Entre os 25 milhões e os 30 milhões de euros seria um bom valor”.

Nas 34 lojas da Staples cumprem-se as normas de desinfeção e higienização e o número de pessoas fixados pela Direção Geral da Saúde, diz João Paulo Peixoto. A única variável, e em relação à qual existem expetativas, são os horários de funcionamento a partir de 15 de setembro, quando o país entrar novamente em fase de contingência e que serão conhecidos na próxima semana. A questão que se poderá colocar é a do horário muito limitado. “Como temos lojas com 1.600 m2 e há limite no número de clientes que podem estar, em simultâneo, no interior, quanto mais for curto for, mais difícil será para nós. Em cima da mesa, à espera das diretrizes da DGS, temos os planos A, B e C ”. A grande afluência centra-se na semana que antecede o início das aulas e na semana seguinte, quando a maioria dos alunos já recebeu as listas de material por parte dos professores.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

TAP propõe acordo com tripulantes para vigorar até final de 2024

O acordo, segundo o qual “as medidas acordadas referentes a retribuições e outras prestações pecuniárias, retributivas ou não, produzem efeitos a 1 de janeiro de 2021”, estabelece a suspensão “das tabelas salariais e remuneratórias em vigor à data da entrada em vigor deste acordo, incluindo as constantes de normativo específico de cada função e/ou de acordos individuais”.

Turismo do Centro apresenta novas iniciativas para as Rotas das Invasões Francesas

O destaque vai para a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa, que teve início em julho de 1810 e terminou em abril de 1811. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras, de onde os franceses retiraram em perda.

Pilotos do porto de Aveiro resgatam navio da ETE

Depois de ativados os procedimentos de segurança, os serviços técnicos de pilotagem do porto de Aveiro em colaboração com os rebocadores e em articulação com a Capitania, “a operação do salvamento do navio e tripulação foi realizada com sucesso, encontrando-se o navio atracado em segurança”.
Comentários