Startups dão consultas médicas gratuitas

Better Now, Knok Healthcare e Zaask pertencem ao movimento “tech4COVID19” e estão a trabalhar com médicos voluntários para aliviar o SNS.

As startups Better Now, Knok Healthcare e Zaask – que pertencem ao movimento “tech4COVID19” – desenvolveram soluções tecnológicas e estão a disponibilizar consultas médicas gratuitas com médicos voluntários.

O objetivo deste trio de pequenas empresas é aliviar o trabalho do Sistema Nacional de Saúde (SNS) e dar mais incentivos a que os cidadãos se mantenham em casa, mesmo que tenham alguns sintomas, porque podem curar-se sem se deslocarem fisicamente às unidades de saúde.

A BetterNow, a Knok Healthcare e a Zaask criaram plataformas e aplicações móveis (disponíveis para sistemas iOS e Android) que permitem realizar consultas médicas através de videochamada. No caso da Zaask, que contou com o apoio da Visor.ai, há um chatbot onde os utentes podem fazer uma primeira triagem e despistar eventuais casos do novo coronavírus (Covid-19) e se houver suspeitas de infeção passam para a videocall com os especialistas.

Depois dos milhares de portugueses que optaram pelo teletrabalho, estes empreendedores dedicaram-se a melhorar os serviços de telemedicina e estão de braços abertos para mais profissionais de saúde que se queiram juntar aos projetos.

 

Recomendadas

Portugal regista mais 665 novos casos confirmados e nove mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas

Segundo o boletim epidemiológico divulgado este domingo, 27 de setembro, cinco vítimas são na Região de Lisboa e Vale do Tejo, duas no Norte e outras duas no Centro. Há, neste momento, 635 internados, dos quais 89 em Unidades de Cuidados Intensivos.

Portugal tratou 8.344 doentes dos PALOP em quatro anos. Cabo Verde é o segundo com mais transferências médicas

As especialidades mais procuradas são a cardiologia, a oncologia, a oftalmologia, a pediatria, a urologia, a otorrinolaringologia, a cirurgia geral e cirurgia pediátrica, a ortopedia e a neurocirurgia. Em 2019, Angola enviou 46 doentes, Cabo Verde 619, a Guiné-Bissau 681, Moçambique 35 e São Tomé e Príncipe 234.

Arranca esta segunda-feira a primeira fase de vacinação contra a gripe

A primeira fase vai contar com cerca de 350 mil doses de vacina, que se destinam aos profissionais de saúde que prestam serviços ao público, grávidas e idosos residentes em lares.
Comentários