Startups estão mais otimistas sobre a crise mas admitem só ter capital para seis meses

Estudo concluiu que 55,7% das startups com escritórios em Portugal optou por solicitar os auxílios específicos para o empreendedorismo, como o “StartupRH Covid-19”, o “Startup Voucher”, o “Vale de Incubação”, ou o “Mezzanine funding for Startups”.

As startups com operação em Portugal estão mais otimistas em relação ao impacto do novo coronavírus no seu negócio em relação à ideia que tinham em março, quando mais de 40% admitia o encerramento de portas, segundo o estudo “O Ecossistema de Empreendedorismo Português e a Covid-19 – Análise do Impacto”.

Agora, mais de metade (52,46%) destas empresas espera que as vendas melhorem nas próximas semanas e 82% dos gestores não realizou cortes nos salários e 91,8% não está a planear fazer despedimentos nos próximos três meses, de acordo com uma sondagem realizada pela consultora Aliados Consulting em parceria com a agência de comunicação de tecnologia FES Agency.

Depois de reunirem respostas de 61 CEO e fundadores de startups com escritórios em Portugal, as empresas concluíram que há mais startups que admitir estar a sentir efeitos positivos desta crise (13,1%), nomeadamente as que operam na área da saúde ou da educação.

Porém, a situação pode alterar-se, uma vez que a falta de liquidez persiste. Quase metade (49,2%) confessou ter até seis meses de capital disponível, “o que significa que o prolongamento desta situação pode ameaçar seriamente a sua sobrevivência”, pode ler-se neste documento. Para solucionar o problema, as startups (72,13%) estão a procurar soluções alternativas de financiamento – à parte as sociedades de capital de risco – como a banca ou fundos comunitários (Portugal 2020, por exemplo).

Em relação aos apoios apresentados pelo Governo no Estado de Emergência, só 11,5% das startups disse ter recorrido ao lay-off simplificado, uma vez que a maioria (55,7%) optou por solicitar os auxílios específicos para o empreendedorismo, como o “StartupRH Covid-19”, o “Startup Voucher”, o “Vale de Incubação”, ou o “Mezzanine funding for Startups”.

O relatório, que teve por base entrevistas realizada entre os dias 27 de abril e 6 de maio de 2020, chegou à conclusão de que a StartupRH Covid19” – um apoio financeiro através de um incentivo equivalente a um salário mínimo por colaborador (até a um máximo de 10 colaboradores por empresa – é aquela que reúne mais empatia por parte dos empreendedores, com 36,06% desta amostra a considerá-la “relevante” ou “muito relevante”.

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes: Governo está a demorar muito tempo a decidir sobre a TAP

O comentador político diz que a solução para a TAP no imediato vai passar por um empréstimo público ou um empréstimo privado com garantia de Estado, apontando que o Estado não vai integrar a Comissão Executiva, mas que os “poderes do Conselho de Administração serão reforçados”.

Luxair retoma voos para Faro com clientes luxemburgueses para hotéis do Grupo NAU

Cerca de 70 turistas do Luxemburgo ficaram alojados no o São Rafael Atlântico e o Salgados Dunas Suites, reabriram hoje, dia 31 de maio, as suas portas, e vão permanecer entre sete e 14 noites.

Centros comerciais vão reabrir amanhã à exceção da Área Metropolitana de Lisboa

Dos 94 centros comerciais associados da APCC, 35 são na Área Metropolitana de Lisboa, representando cerca de 50% do emprego deste subsetor de atividade.
Comentários