Startups francesas que operam em Espanha e Reino Unido querem vir para Portugal

Rémi Charpentier, representante da delegação portuguesa da French Tech, disse ao ‘Público’ que há “um número impressionante de startups de capital francês”, a operar em Barcelona, Madrid e Londres, com planos para fazerem as malas e voarem até à cidade de Lisboa.

António Cotrim/Lusa

Há várias startups francesas que operam em Espanha e Reino Unido que pretendem mudar-se ou alargar o seu negócio para Portugal. As microempresas contactaram a French Tech Lisbon a informar a entidade das suas intenções, refere o jornal Público esta sexta-feira.

Numa entrevista ao diário, Rémi Charpentier, representante da delegação portuguesa da French Tech, destinada a motivar startups nacionais a ampliarem os seus negócios para Paris, disse que há “um número impressionante de startups de capital francês”, a operar em Barcelona, Madrid e Londres, com planos para fazerem as malas e voarem até à cidade de Lisboa.

Para Rémi Charpentier, a French Tech, criada pelo executivo francês e por organizações privadas, “funciona como uma marca, com efeitos muito positivos para as startups”. À mesma publicação, o empreendedor que sem o braço desta rede teria “perdido os eventos paralelos que a French Tech organiza e que é onde se fazem os melhores contactos e se estabelecem mais redes”.

“A Web Summit tem uma enorme credibilidade e estarmos aqui com o selo de aprovação da French Tech dá-nos ainda mais valor para os media franceses que visitam a feira e querem falar do seu país”, acrescentou ao Público Anis Fehri, fundador da aplicação para smartphones Smarter Time.

A cimeira tecnológica Web Summit 2017, que foi acompanhada por 2.600 meios de comunicação social, teve a participação de mais de 2.100  empresas recém-criadas, de 1.400 investidores tecnológicos de topo e de 1.200 conferencistas, dos quais 35,4 por cento eram mulheres. A conferência teve 2,2 milhões de sessões de ligação à rede de Internet sem fios.

Relacionadas

Manuel Caldeira Cabral: “Web Summit também quer manter casamento com Portugal”

O ministro da Economia afirma que o balanço da segunda edição do evento em Lisboa é “excelente”. Adianta que a cimeira está a dar um enorme impulso ao empreendedorismo, com o apoio do Governo a resultar num movimento que atrai investimento.
Recomendadas

Destino da Uber Eats está nas mãos de um português

Rui Bento é o novo diretor do serviço de entrega de refeições para o sul da Europa. Português acredita que serviço chegará a outras cidade do país.

Até agosto já nasceram 30.620 empresas. Turismo e TIC lideram as constituições

O crescimento na constituição de novas empresas é registado na quase totalidade dos distritos e setores, mas o grande impulso vem dos setores ligados ao turismo, onde este indicador cresce 19,4%.

Gomes da Silva eleito melhor CEO do ano na relação com os investidores

O prémio foi atribuído ao presidente da Galp na gala anual dos IRG Awards, promovida pela Deloitte há 31 anos e apoiada pela Forbes, e que decorreu na noite de ontem no Convento do Beato, em Lisboa.
Comentários