Suíça aprova em referendo proibição do uso de véu integral

A Suíça aprovou em referendo, com 51,2% dos votos, a proibição do uso de véu integral, uma medida que uns dizem ser contra o islamismo radical e outros consideram xenófoba e sexista.

A Suíça aprovou este domingo, em referendo, com 51,2% dos votos, a proibição do uso de véu integral, avança a Agência France-Presse (AFP), uma medida que uns dizem ser contra o islamismo radical e outros consideram xenófoba e sexista.

Os resultados avançados pelo Governo federal indicam que a iniciativa que proíbe o uso de peças de vestuário que cubram integralmente o corpo venceu com 51,2% dos votos e na maioria dos cantões suíços.

Ainda que o texto da iniciativa não mencione claramente o tipo de vestuário a que se refere, durante a campanha ficou claro que se pretende proibir o uso de burca, uma peça de vestuário que cobre todo o corpo, apenas com uma abertura rendilhada nos olhos, usado por algumas mulheres muçulmanas, bem como do niqab, que é semelhante à burca, mas sem a peça rendilhada.

A medida foi proposta pelo partido de direita UDC (Union Demócratique de Centre, ou União Democrática do Centro, em tradução livre) e foi apoiada por grupos feministas e por um setor dos eleitores da esquerda laica.

Citado pela agência de notícias francesa, o presidente da UDC, Marco Chiesa, congratulou-se pelo resultado, afirmando que não quer “um islamismo radical” no país.

Com este resultado, a Suíça junta-se à França, à Áustria, à Bulgária, à Bélgica e à Dinamarca, que aprovaram iniciativas semelhantes.

Ler mais
Recomendadas

Itália: Draghi apresenta Plano de Recuperação esta sexta-feira

O plano conta com uma dotação de mais de 220 mil milhões de euros. O plano definitivo só será apresentado a 30 de abril e o governo quer resolver o problema de quem gere o quê. A questão determinou o fim do anterior governo liderado por Giuseppe Conte.

Joe Biden prepara novos impostos sobre o capital

O também chamado imposto sobre os ricos pode colocar sérios riscos sobre os investimentos dos norte-americanos. Mal se soube do caso, não confirmado, Wall Street entrou em stress.

Israel: Netanyahu tenta apoios para a eleição direta do primeiro-ministro

O ainda primeiro-ministro não desiste de ‘inventar’ cenários para se manter no poder. Desta vez, está a tentar encontrar apoio para a eleição direta do primeiro-ministro.
Comentários