PremiumSustentabilidade abre horizontes na banca pós-Covid

Luís Gaspar, ‘managing partner’ da consultora Mazars em Portugal, diz que a experiência em ‘green financing’ pode ajudar os bancos.

A crise provocada pela Covid-19 reforçou o papel ativo da banca na economia, contrariamente ao que sucedeu na última crise, que condicionara o acesso ao crédito. Hoje, tão importante quanto a injeção de liquidez na atividade económica, são as questões ligadas à sustentabilidade, o que abre um leque de oportunidades ao sistema financeiro.

O estudo “Responsible Banking Practices: Benchmark Study 2020” realizado pela consultora internacional Mazars e publicado este mês, analisou a abordagem de 30 instituições de crédito ao tema da sustentabilidade tendo em conta cinco critérios: cultura e governo societário, gestão de risco, reporting, produtos e serviços, métricas e grupos de trabalho, iniciativas e objetivos. Entre os bancos avaliados encontram-se alguns dos maiores europeus, como o Santander, BBVA, Crédit Agricole, Deutsche Bank ou ABN AMRO.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

“Mercados em Ação”. “Novo Banco? Se fosse em 2013, isto tinha rebentado com o mercado para Portugal”

Nesta edição do programa da JE TV, Shrikesh Laxmidas (diretor-adjunto do JE), Marco Silva (consultor de estratégia e investimento) e Pedro Lino, administrador da Optimize Investment Partners, analisaram o impacto do ‘travão’ parlamentar ao financiamento do Novo Banco.

BCE obriga bancos sistémicos a avaliarem antecipadamente o risco de incumprimento nos contratos em moratória

Há seis novas diretrizes do BCE aos bancos de importância sistémica e os CEO dos bancos têm de responder ao supervisor europeu até 31 de janeiro de 2021. O BCE diz que os bancos supervisionados devem realizar uma avaliação regular da improbabilidade de os créditos serem pagos, incluindo aqueles que estão protegidos pela moratória de pagamento, usando todas as informações relevantes e disponíveis.

Fusão do CaixaBank com o Bankia aprovada em assembleia geral

Criação do maior banco em Espanha está agora apenas dependente da aprovação das autoridades regulamentares competentes. Agência de notação financeira DBRS diz que os benefícios da fusão vão demorar tempo a serem atingidos e alerta para a deterioração do rácio de NPL do CaixaBank logo após a operação.
Comentários