Tânia Freitas quer resolver problemas habitacionais em Santana

A candidata do PS defende a necessidade de fazer um diagnóstico das situações no terreno, sinalizando todos os casos e definindo as prioridades de atuação.

Os apoios à habitação constituem uma das prioridades da candidata do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal de Santana, que quer, por esta via, proporcionar condições dignas de habitabilidade a todos os munícipes.

Nos contactos de proximidade que tem vindo a efetuar porta-a-porta, Tânia Freitas tem testemunhado situações de carência habitacional que exigem uma resposta imediata, pelo que considera que a autarquia deve ter um papel ativo na ajuda a estas famílias.

A candidata do PS defende a necessidade de fazer um diagnóstico das situações no terreno, sinalizando todos os casos e definindo as prioridades de atuação.

Neste âmbito, o seu projeto para Santana contempla várias medidas, entre as quais a candidatura ao programa ‘1.º Direito’, que visa apoiar a promoção de soluções para pessoas que vivem em condições habitacionais indignas e que não dispõem de capacidade financeira para suportar o custo do acesso a uma habitação adequada. “Este é um apoio nacional ao qual as câmaras municipais podem candidatar-se para ajudar as famílias com maiores dificuldades, pelo que não se entende como é que a autarquia de Santana, que diz estar ao lado das pessoas, ainda não recorreu a esta ajuda”, refere Tânia Freitas.

O mesmo acontece em relação ao programa ‘Fundo Ambiental’, que contempla medidas de apoio que promovam a reabilitação, a descarbonização, a eficiência energética, a eficiência hídrica e a economia circular, contribuindo para a melhoria do desempenho energético e ambiental dos edifícios. Neste âmbito, podem ser atribuídas, por exemplo, ajudas para a substituição de portas e janelas, aumentando a eficiência energética das habitações, contribuindo assim para dotar as casas de condições mais dignas.

A candidata do PS pretende igualmente criar um programa de apoio às rendas para a primeira habitação, destinado a jovens até aos 30 anos, o qual pode ser majorado consoante a freguesia, assim como preconiza a criação de uma bolsa de casas disponíveis para arrendamento. Um conjunto de medidas que, explica Tânia Freitas, tem em vista ajudar a fixar os jovens no concelho e combater o “despovoamento preocupante” que assola a costa norte.

“A habitação condigna é um princípio basilar e, se queremos uma Santana para todos, temos de começar por garantir estes direitos fundamentais”, sublinha a candidata, acrescentando ser incompreensível que estes problemas persistam em pleno século XXI. “O que andaram a fazer os executivos camarários do PSD e do CDS ao longo de todos estes anos”, questiona Tânia Freitas, garantindo que, se for eleita, esta será uma das suas primeiras apostas.

Recomendadas

Carlos Moedas toma posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Veja em direto

O antigo comissário europeu sucede a Fernando Medina na liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Veja a tomada de posse em direto.

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.
Comentários