Taxa de desemprego manteve-se nos 6,7% no terceiro trimestre

Taxa de desemprego é a mais baixa desde 2011, com um decréscimo de 1,8 pontos percentuais (p.p.) face do trimestre homólogo de 2017. Taxa de desemprego jovem fixa-se nos 20%.

A taxa de emprego em Portugal manteve-se inalterada no terceiro trimestre do ano face ao trimestre anterior, fixando-se em 6,7%, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística publicados esta quarta-feira, dia 7.

Segundo os resultados do Inquérito ao Emprego relativos ao terceiro trimestre de 2018, Portugal regista novamente a taxa mais mais baixa desde 2011, com um decréscimo de 1,8 pontos percentuais (p.p.) face ao trimestre homólogo de 2017, “interrompendo as diminuições trimestrais” registadas desde o segundo trimestre de 2016.

Neste sentido, a população desempregada, estimada em 352,7 mil pessoas, manteve-se praticamente inalterada relativamente ao trimestre anterior, “interrompendo os decréscimos trimestrais observados desde o segundo trimestre de 2016”, salienta o INE. Já em relação ao trimestre homólogo, verificou-se uma diminuição de 20,6%, o que corresponde a menos 91,3 mil indivíduos desempregados.

Segundo o INE, a população empregada, estimada em 4 902,8 mil pessoas, registou um aumento trimestral de 0,6%, ou seja 28,7 mil indivíduos, e um aumento homólogo de 2,1%, o que corresponde a mais 99,8 mil indivíduos.

Esta variação refletiu o aumento de população empregado, ocorrido em pessoas de ambos os sexos, de forma idêntica, com um aumento de 0,7% de mulheres e de 0,5% de homens 0,5%, pessoas dos 15 aos 24 anos, com um aumento de 10,1%,  sendo ainda de destacar o aumento do emprego nas atividades de administração pública e defesa, segurança social obrigatória e nas de alojamento, restauração e similares, assim como nos indivíduos que trabalham por conta de outrem, com contratos sem termo (15,0 mil; 0,5%); e empregados a tempo completo (30,9 mil; 0,7%).

Já a taxa de desemprego jovem subiu para 20%, “correspondendo ao segundo valor mais baixo da série iniciada no 1.º trimestre de 2011”.

(Notícia atualizada às 11h18)

Ler mais
Relacionadas

PS diz que “há razões para celebrar” os três anos do Governo

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, afirmou que “há razões para celebrar” os três anos do Governo, que se completam no próximo dia 26, destacando em primeiro lugar “o rigor das contas públicas”.

Jerónimo de Sousa diz que política do Governo está enredada em “contradições”

A política do governo minoritário do PS está crescentemente enredada em paralisantes contradições que impedem a resolução de muitos problemas nacionais. Contradições que se manifestam no plano político, económico e social e que não estão desligadas da sua opção de manter o país acorrentado às imposições da União Europeia.

Recebe pensões, subsídios ou abono? Veja qual é o dia de pagamento

A Segurança Social publicou as datas para o pagamento dos subsídios sociais e familiares e pensões para novembro. Fique a saber aqui as datas para os pagamentos. São de 8 a 30 de novembro.
Recomendadas

OE com “número elevado” de cativações “acaba por ser uma mentira”, acusa Rui Rio

Líder social-democrata referiu ainda que a questão das cativações de despesa deve preocupar em particular bloquistas e comunistas.

BdP baptiza prémio para a melhor tese de mestrado de economia de “Prémio José da Silva Lopes”

Este ano, o Conselho de Administração do Banco de Portugal decidiu renomear este prémio, que passa a designar-se “Prémio José da Silva Lopes”, em homenagem ao antigo Governador do Banco de Portugal. A vencedora do Prémio José da Silva Lopes foi Joana Passinhas do ISEG.

Montepio revê em baixa crescimento do PIB português de 2018 para 2,2%

O Montepio estima agora um crescimento de 2,2% no PIB no conjunto deste ano, o que representa uma diminuição face à anterior estimativa (+2,3%) e ao registado em 2017 (+2,8%).
Comentários