Taxify chega a Portugal em força para fazer concorrência à Uber e Cabify

A empresa estreia-se no mercado português com mais de 600 condutores registados e um modelo de negócio que vai aguerrir a competição no setor.

Apple

A plataforma de transportes de passageiros Taxify chega esta quinta-feira a Portugal , onde vai competir com a Uber e a Cabify. A empresa estreia-se no mercado português com mais de 600 condutores registados e um modelo de negócio que vai aguerrir a competição no setor, avança o jornal “Público”.

A Taxify propõe também um negócio promissor para os motoristas. A empresa cobra uma comissão aos motoristas menor do que a maior concorrente, a Uber, de 15% contra os 25% atualmente cobrados pela plataforma norte-americanas. “Ter motoristas mais felizes significa uma melhor qualidade do serviço para os utilizadores”, afirma a Taxify.

Além disso, a Taxify aposta numa captação de novos clientes através do preço e de uma estratégia inicial de promoções agressivas. A startup criada na Estónia define-se como “a maior plataforma tecnológica de mobilidade europeia” e conta já com “mais de cinco milhões de utilizadores”. A previsão é que a receita global seja de mil milhões de dólares este ano.

Portugal é agora o vigésimo terceiro país onde a plataforma está presente. A empresa entre em força em Lisboa, mas “o natural será ir também para o Porto e para o Algarve”, afirma David Silva, gestor de operações da Taxify em Portugal. Esta são zonas onde a concorrente Uber já está também presente.

Relacionadas

Ex-CEO da Uber vende parte da sua participação por 1,4 mil milhões de dólares

A venda das ações de Kalanick é parte de um acordo com um consórcio liderado pela corporação SoftBank, que está “em jogo” para adquirir 17.5% das acções da Uber, através dos investidores mais antigos e de empregados da companhia.

Federação do Táxi quer demissão de secretário de Estado por sugerir perdão às multas da Uber

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) considerou hoje “inaceitável” o perdão das multas à Uber e à Cabify, exigindo a demissão do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente por este ter apresentado tal proposta.
Recomendadas

PremiumCEO da Transavia: “Portugal é o nosso primeiro mercado”

Nathalie Stubler diz que as medidas tomadas no nosso país facilitaram a reabertura das operações.

Ministro britânico afirma que Huawei deverá reunir condições para desenvolvimento do 5G

“Tenho certeza de que o Conselho de Segurança Nacional analisará essas mesmas condições e tomará a decisão certa, para garantir que temos uma infraestrutura de telecomunicações muito forte, mas também segura”, disse este domingo Matt Hancock.

Empresas portuguesas podem pagar menos impostos em Angola

O governo angolano considera que o objetivo fundamental das alterações fiscais é “tornar ou desonerar a carga fiscal nos rendimentos mais baixos, conservar ou manter a carga fiscal dos rendimentos de escalões intermédios e introduzir progressividade nos rendimentos mais altos”.
Comentários