Taxify chega a Portugal em força para fazer concorrência à Uber e Cabify

A empresa estreia-se no mercado português com mais de 600 condutores registados e um modelo de negócio que vai aguerrir a competição no setor.

Apple

A plataforma de transportes de passageiros Taxify chega esta quinta-feira a Portugal , onde vai competir com a Uber e a Cabify. A empresa estreia-se no mercado português com mais de 600 condutores registados e um modelo de negócio que vai aguerrir a competição no setor, avança o jornal “Público”.

A Taxify propõe também um negócio promissor para os motoristas. A empresa cobra uma comissão aos motoristas menor do que a maior concorrente, a Uber, de 15% contra os 25% atualmente cobrados pela plataforma norte-americanas. “Ter motoristas mais felizes significa uma melhor qualidade do serviço para os utilizadores”, afirma a Taxify.

Além disso, a Taxify aposta numa captação de novos clientes através do preço e de uma estratégia inicial de promoções agressivas. A startup criada na Estónia define-se como “a maior plataforma tecnológica de mobilidade europeia” e conta já com “mais de cinco milhões de utilizadores”. A previsão é que a receita global seja de mil milhões de dólares este ano.

Portugal é agora o vigésimo terceiro país onde a plataforma está presente. A empresa entre em força em Lisboa, mas “o natural será ir também para o Porto e para o Algarve”, afirma David Silva, gestor de operações da Taxify em Portugal. Esta são zonas onde a concorrente Uber já está também presente.

Relacionadas

Ex-CEO da Uber vende parte da sua participação por 1,4 mil milhões de dólares

A venda das ações de Kalanick é parte de um acordo com um consórcio liderado pela corporação SoftBank, que está “em jogo” para adquirir 17.5% das acções da Uber, através dos investidores mais antigos e de empregados da companhia.

Federação do Táxi quer demissão de secretário de Estado por sugerir perdão às multas da Uber

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) considerou hoje “inaceitável” o perdão das multas à Uber e à Cabify, exigindo a demissão do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente por este ter apresentado tal proposta.
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários