Tecnoplano vai fiscalizar obra de expansão do Metro de Lisboa

Às empreitadas já adjudicadas acrescerá a fiscalização dos subsequentes contratos por adjudicar de acabamentos e equipamentos das estações túneis, poços de ventilação e viadutos, asseguram os responsáveis da empresa.

A Tecnoplano vai fiscalizar as obras de expansão do Metropolitano de Lisboa, recentemente adjudicadas.

“A Tecnoplano, empresa portuguesa de consultoria e gestão de projetos de engenharia, ganhou um contrato de fiscalização de empreitadas no valor de 210,2 milhões de euros para o Metropolitano de Lisboa, que compreende o prolongamento da estação Rato (da linha Amarela) à estação Cais do Sodré (da linha Verde) com duas novas estações: Estrela e Santos”, adianta um comunicado da empresa, acrescentando que “concorreu em consórcio com a Consulgal”.

“A estas empreitadas já adjudicadas acrescerá a fiscalização dos subsequentes contratos por adjudicar de acabamentos e equipamentos das estações túneis, poços de ventilação e viadutos”, adiantam os responsáveis da Tecnoplano.

“Recebemos com muito agrado a notícia de que poderemos utilizar o conhecimento e a experiência da Tecnoplano em prol da melhoria da mobilidade na capital, contribuindo também para o relançamento da economia e para a criação de emprego. A fiscalização é um elemento vital para o sucesso dos projetos de infraestruturas de transporte e assume uma relevância ainda maior quando se trata de obras públicas em meio urbano”, afirma Pedro Matos de Pinho, administrador executivo da Tecnoplano.

Segundo o responsável da empresa, “a obra em causa vai fazer chegar o Metropolitano a zonas da cidade de Lisboa anteriormente não cobertas por este serviço, e reforçará significativamente a oferta para os atuais e potenciais utilizadores de transporte coletivo, sobretudo os dos concelhos que dispõem de ligações diretas ferroviárias e fluviais ao Cais do Sodré, como Cascais, Almada, Seixal e Montijo”.

“Esta fiscalização abrangerá os recentes contratos adjudicados de construção dos ‘toscos’ para o prolongamento da linha Amarela a partir do atual término da Estação do Rato à Estação do Cais do Sodré (com uma extensão de cerca de dois quilómetros em túnel de via dupla), e para a construção dos viadutos do Campo Grande junto à 2ª Circular para a ligação das linhas do Norte à estação do Campo Grande, bem como os contratos por adjudicar para os acabamentos e ‘fit-out’ destas importantes infraestruturas”, adianta Pedro Matos de Pinho.

De acordo com o administraxdor executivo da Tecnoplano, “esta empreitada criará uma nova linha circular em Lisboa, o que irá permitir uma frequência superior na circulação e uma distribuição mais rápida e dinâmica de passageiros, agilizando o tempo de resposta e melhorando a fluidez de todo o sistema,” conclui Pedro Matos de Pinho.

A Tecnoplano assume-se como um grupo internacional, de capital totalmente português, que atua nas áreas de consultadoria multidisciplinar de engenharias, arquitetura, urbanismo, ambiente e gestão.

“Desde 1966, participa ativamente em mais de 1.100 projetos e empreendimentos, acrescentando valor com serviços de excelência para Governos, organismos internacionais, empresas do setor público e privado, em três continentes – Europa, África e América do Sul”, garantem os responsáveis da empresa.

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumCEO da Somague: “Nós, empresas portuguesas, respeitamos os nossos concorrentes”

Eduardo Campos Pozuelo conseguiu reduzir a dívida da construtora do Grupo Sacyr de 200 para 45 milhões de euros em menos de três anos.

Setor das obras públicas com variações positivas no final do terceiro trimestre de 2020

O total de empreitadas de obras públicas objeto de celebração de contrato e registo no Portal Base até final do terceiro trimestre, foi de 2.070 milhões de euros, mais 3% que o verificado em 2019″, conclui o mais recente barómetro do setor, efetuado e divulgado pela AICCOPN.

Metropolitano de Lisboa adjudica obra de 19 milhões de euros para expandir linha amarela e verde

A obra foi adjudicada à Teixeira Duarte e tem um prazo de execução previsto de 698 dias.
Comentários