Telefónica Espanha propõe rescisão voluntária a um quinto dos trabalhadores

A Telefónica Espanha vai propor aos sindicatos um Plano de Suspensão Individual do emprego a partir dos 53 anos que irá afetar cerca de 4.600 trabalhadores, o que representa 21,3% da força de trabalho da empresa.

A Telefónica Espanha vai propor aos sindicatos um Plano de Suspensão Individual (ISP) do emprego a partir dos 53 anos que irá afetar cerca de 4.600 trabalhadores, o que representa 21,3% da força de trabalho da empresa.

Segundo fontes sindicais citadas pela agência Efe, o plano que será apresentado na quarta-feira irá afetar os trabalhadores nascidos em 1966 e anos anteriores.

O plano, a ser realizado ao longo de um período de um ano, tem um custo estimado em cerca de 1.600 milhões de euros, e a poupança média anual nos custos diretos são estimados em 220 milhões de euros a partir de 2021, segundo uma informação enviada hoje à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV).

Fontes sindicais explicaram à EFE que é provável que entre os 4.600 trabalhadores abrangidos haja quem não queira aderir ao plano, cuja adesão é voluntária.

Em sucessivos planos do mesmo tipo implementados desde a década de 1990, a média de adesão tem sido entre 70% e 85% das pessoas abrangidas.

As fontes consultadas esperam que as condições de saída sejam semelhantes às de 2016, quando foi oferecido o pagamento de 68% do salário bruto, ao qual se adicionou as contribuições para o Plano de Pensões.

Ler mais
Recomendadas

Lucros da banca sobem 133% em 29 anos, já o crédito a clientes subiu 862%

Desde 1990, verificou-se um aumento de concentração do sistema bancário português. Ao longo do período para o qual existe informação comparável, Portugal apresenta um nível de concentração superior ao da área do euro, o que poderá ser explicado pelo facto dos países mais pequenos tenderem a ter níveis de concentração mais elevados, explica o BdP.

Moody’s atribui ‘rating’ B2 com ‘outlook’ estável à TAP e ao empréstimo obrigacionista

Depois da Standard & Poor’s, é a vez da Moody’s iniciar a análise de ‘rating’ da companhia aérea nacional.

Moody’s atribui à dívida da TAP quinto nível de “lixo”

A agência de notação financeira norte-americana atribuiu o ‘rating’ “B2” à emissão de obrigações anunciada ontem.
Comentários