Telemóvel na sala de aula: sim ou não?

Os prós e contra do telemóvel em contexto escolar vão ser analisados na segunda edição do ciclo de conferências EDUTalks, que se realiza a 15 de novembro, no Teatro Thalia, em Lisboa.

Os telemóveis podem ser vistos como ferramentas de trabalho em contexto escolar ou como fatores distrativos e de criação de possíveis conflitos e dependências. São cara e coroa da mesma moeda. É sobre este tema que vai incidir a próxima edição da EDUTalks, ciclo de conferências públicas de discussão de ideias focadas em temas transversais à Educação, promovidas pelo EDULOG, think tank da Educação da Fundação Belmiro de Azevedo.

O debate contará com a presença de professores, investigadores, clínicos e especialistas na temática em que uns são favoráveis e outros contra. A favor da utilização dos telemóveis em contexto de sala de aula estarão Eduarda Ferreira, da EU Kids Online Portugal, João Couvaneiro, da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, e Filinto Lima, da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas. Entre os oponentes à utilização figuram João Trigo, do Colégio Efanor, Júlia Vinhas, do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil, e Ivone Patrão, clínica do ISPA.

A conferência, começa às 14h30, é aberta ao público, podendo os interessados inscrever-se no site da EDULOG.

 

Recomendadas

Hackers à pesca em Portugal. É o segundo país a nível mundial em ataques de ‘phishing’

Em 2020, foram identificadas cerca de 430 milhões de tentativas de phishing.

Venda de combustível nos postos de abastecimento cai mais em fevereiro

Daí que a procura e consumo de produtos petrolíferos devam aumentar, sobretudo a partir do segundo semestre deste ano, devendo apesar de tudo “começar a ser sentido de forma mais clara a partir dos meses de abril e maio deste ano”.

Faça a leitura do seu contador de eletricidade para diminuir valor da fatura

A DECO deixa ainda um alerta sobre os consumos prescritos, pois o consumidor neste caso não é obrigado a pagar esses valores. Entende-se que um consumo está prescrito quando os valores cobrados correspondem a períodos antecedentes a 6 meses em relação à data de emissão da sua fatura.
Comentários