Teletrabalho deixa de ser recomendado a partir de 1 de outubro

O Governo também determinou o fim da “testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores”.

A recomendação de teletrabalho cai a partir de 1 de outubro, decidiu hoje o Governo em Conselho de Ministros.

O executivo decidiu a “eliminação da recomendação de teletrabalho” e também a “eliminação da testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores”.

Na última alteração a este regime, o teletrabalho deixou de ser obrigatório em agosto nos concelhos de maior risco para passar a ser recomendado em todo o território nacional.

“A recomendação é de, sempre que possível, manter trabalho à distância nos termos em que ele já existiu”, disse a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, a 20 de agosto.

Portugal conta com um total de 1.064,876 casos confirmados de Covid-19, mais 885 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta quinta-feira, 23 de setembro. O número de vítimas mortais do novo coronavírus subiu para os 17.938 verificando-se mais cinco vítimas mortais nas últimas 24 horas.

O país atingiu 83% da população totalmente vacinada no dia 21 de setembro, num total de quase 8,5 milhões de pessoas. O líder da task force considera que vai haver “”proteção de grupo e eventualmente imunidade de grupo quando atingirmos os 85% ou 86% de vacinação completa”, segundo disse Henrique Gouveia e Melo esta semana. Recorde-se que a task force para a vacinação espera atingir a meta de 85% da população totalmente vacinada na próxima semana.

Recomendadas

Confiança dos consumidores da zona euro recua quase 1 ponto de setembro para outubro

A confiança dos consumidores recuou quase um ponto, de setembro para outubro, quer na zona euro, quer na União Europeia (UE), divulgou hoje a Comissão Europeia.

Crise dos combustíveis deverá levar a subida de preços dos serviços até 15% em Portugal (com áudio)

O ajustamento em alta acumula-se ao aumento dos preços na ordem dos 5%, atribuído à retoma económica e ao crescimento da procura no período de desconfinamento em Portugal.

OE2022. UTAO alerta para riscos associados à pandemia e regras de Bruxelas

A unidade técnica lembra que as regras orçamentais de Bruxelas foram suspensas na sequência da pandemia, mas um levantamento desta suspensão pode significar que a “consolidação que não se faça nas condições menos exigentes de 2022 terá que ser feita com menos graus de liberdade em 2023 e anos seguintes”.
Comentários