Tem dúvidas sobre financiamento alternativo? Crowdfunding estará em debate na SRS

A sociedade SRS Advogados e a publicação “LinktoLeaders” abordarão as “Modalidades de financiamento para startups”, o “Regime de Crowdfunding e regulação” e “Lending vs Equity Crowdfunfing”.

A SRS Advogados e a “LinktoLeaders” organizam no próximo dia 6 de dezembro, no auditório da sociedade, em Lisboa, um seminário sobre o regime de crowdfunding enquanto meio alternativo para financiamento de startups.

O evento colocará em cima da mesa temas como: “Modalidades de financiamento para startups”, o “Regime de Crowdfunding e regulação” (CMVM) e “Lending vs Equity Crowdfunfing” (Seedrs / GoParity / RedAngels).

“Este seminário pretende dar a conhecer o enquadramento legal destes meios alternativos de financiamento, abordar as oportunidades e identificar os principais erros de quem procura o crowdfunding”, afirma o sócio da SRS Paulo Bandeira, também responsável pelo Startup Lab.

Relacionadas

O escritório de advogados com 25 anos que apoia boas ideias, conceitos e startups

A SRS Advogados, a celebrar 25 anos, é um escritório internacional. Conheça neste – Quem é Quem na Advocacia de Negócios em Portugal – a Sociedade que entende a empresa no seu todo, trabalha com grandes empresas, e também com startups.
Recomendadas

Juízes desconvocam greve nacional marcada para sexta-feira

Direção da ASJP justifica a desconvocação da greve em todas as jurisdições e instâncias com o facto de ter havido uma aproximação de posições com o Governo.

Portugal pode “fortalecer mecanismo de acusação penal”, considera OCDE

No relatório sobre Portugal, a OCDE explica que a avaliação do nível de corrupção é difícil, uma vez que os indicadores existentes se baseiam principalmente em percepções. Recomenda ainda que Ministério Público deve “continuar a melhorar a capacidade” para combater a criminalidade económica e financeira.

Premium“Hoje as pessoas são jovens advogados até aos 45 anos”

Ana Rita Duarte Campos, presidente do Instituto de Apoio aos Jovens Advogados, teme que os recém-chegados à profissão, munidos de tecnologia, não vejam na advocacia um emprego apelativo e socialmente importante.
Comentários