Tesla aumenta lucros no terceiro trimestre para 1,40 mil milhões de euros

No terceiro trimestre de 2020, a Tesla tinha registado um lucro de 331 milhões de dólares (284,36 milhões de euros).

A Tesla apresentou um lucro líquido de 1,62 mil milhões de dólares (1,39 mil milhões de euros) no terceiro trimestre, sendo esta a segunda vez que ultrapassa um lucro de mil milhões de dólares, revela a “CNBC”. No terceiro trimestre de 2020, a Tesla tinha registado um lucro de 331 milhões de dólares (284,36 milhões de euros).

Este grande aumento deveu-se ao crescimento da margem de lucro da empresa de Elon Musk em 30,5% no negócio automóvel, ou 281 pontos base face ao período homólogo, e também à considerável subida de vendas. Com a falta de componentes, a Tesla viu-se obrigada a subir os preços para fazer frente à subida dos custos.

A receita da Tesla na parte automóvel cresceu para 12,06 mil milhões de dólares. A empresa gerou 806 milhões de dólares (692,45 milhões de euros) de lucros no sector da energia, que combina solar e armazenamento, bem como 894 milhões de dólares (767,95 milhões de euros) em serviços como manutenção, reparações, mercadorias da marca própria e seguros.

Nos primeiros nove meses do ano a empresa acumulou lucros de 3,198 mil milhões de dólares (2,748 mil milhões de euros). As receitas de todas as operações automotivas também atingiram um novo recorde de 10,2 mil milhões de dólares (8,76 mil milhões de euros), superando pela primeira vez os dez mil milhões, num crescimento homólogo de 58%.

Assim, com os números a crescer a olhos vistos, a empresa liderada por Elon Musk conseguiu enfrentar a pandemia e a falta de semicondutores no mercado automóvel. Assim, a Tesla está a apresentar lucros há cinco trimestres consecutivos e, caso a falta de componentes sinta um abrandamento, a empresa estima manter um crescimento sustentável durante os próximos meses.

Relacionadas

Tesla condenada a pagar 137 milhões de dólares a ex-funcionário vítima de racismo

Owen Diaz, um colaborador contratado pela empresa de Elon Musk através de uma agência de trabalho em 2015, enfrentou um ambiente de trabalho hostil no qual os colegas usaram apelidos para denegri-lo, através de insultos como “volta para a África”, frases racistas com o seu nome na casa de banho e, até, um desenho racista no seu espaço de trabalho.

Elon Musk ultrapassa fundador da Amazon e torna-se na pessoa mais rica do mundo

Desde o início da semana que Musk soma uma fortuna de 213 mil milhões de dólares (183,7 mil milhões de euros), enquanto Jeff Bezos conta com 197 mil milhões de dólares (170 mil milhões de euros).
Recomendadas

PremiumEugénio Rosa: “A substituição da administração do Banco Montepio é necessária”

“Sou totalmente contra uma administração que caia de paraquedas no Banco Montepio”, defende Eugénio Rosa, líder da lista C, candidata às eleição dos órgãos associativos do Montepio Geral.

PremiumPedro Corte-Real: “Há garantias do primeiro-ministro que o Montepio ia ser apoiado”

Pedro Corte-Real, que lidera a lista B para a presidência da Associação Mutualista Montepio Geral, defende que o Estado deve ajudar o Banco Montepio e diz que “esse apoio ainda não foi dado por falta de credibilidade das direções”.

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.
Comentários