Testes antigénios obrigatórios para se assistir a eventos desportivos na Madeira

A informação foi divulgada numa nota, que refere uma circular normativa da Direção Regional da Saúde, hoje publicada, “a qual prevê a obrigatoriedade de apresentação de teste rápido de antigénio pelo público em competições desportivas em geral”.

Eduardo Lopes/Lusa

A apresentação de um teste rápido antigénio negativo vai ser obrigatória para quem quer assistir a competições desportivas na Madeira, informou hoje o gabinete do secretário da Saúde do arquipélago.

A informação foi divulgada numa nota, que refere uma circular normativa da Direção Regional da Saúde, hoje publicada, “a qual prevê a obrigatoriedade de apresentação de teste rápido de antigénio pelo público em competições desportivas em geral”.

Esta normativa vem estipular “as regras em vigor para o acesso do público aos espaços onde irão decorrer competições no âmbito do desporto”.

O diploma indica que o acesso ao público tem limitação “até 50% da capacidade de cada estádio, sendo que a entrada dos espetadores está sujeita à obrigatoriedade de apresentação de um teste rápido de antigénio realizado nas 48 horas que antecedem o início de cada evento desportivo”.

A responsabilidade do controlo e monitorização do acesso a estes recintos é dos promotores desportivos e demais entidades responsáveis pela realização das competições.

“Não será permitido a entrada de espetadores sem um teste rápido de antigénio negativo”, enfatiza.

A circular destaca que esta medida é obrigatória para “todos os eventos desportivos que envolvam mais de 100 pessoas nos recintos”.

Também indica que estes testes podem ser feitos de forma gratuita, num dos postos aderentes, tais como farmácias, clínicas e laboratórios.

No mesmo documento é referido que o secretário de Saúde e Proteção Civil, Pedro Ramos, e o diretor regional de Saúde, Herberto Jesus, estiveram hoje reunidos com os dirigentes do Club Sport Marítimo e Clube Desportivo do Nacional, onde “reforçaram a importância de assegurar o cumprimento das orientações da Saúde” na sequência da pandemia da covid-19.

A Direção Regional da Saúde anunciou hoje que a Madeira registou “29 novos casos de infeção por SARS-CoV-2” nas últimas 24 horas, pelo que a região passa a contabilizar 10.000 doentes confirmados de covid-19.

O boletim epidemiológico adianta que a região tem 213 casos ativos, dos quais 215 são de transmissão local e 88 importados.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.119.920 mortos em todo o mundo, entre mais de 191,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.232 pessoas e foram registados 939.622 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Recomendadas

Sindicatos reúnem-se com Governo para debater insolvência da Groundforce

A reunião, por videoconferência, deverá contar com a maioria das estruturas sindicais representadas na empresa, conta com a presença do secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Hugo Mendes, e tem como objetivo informar os trabalhadores sobre o processo. 

Ilha de Santo Antão lidera cobertura da vacinação em Cabo Verde

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e representantes de partidos políticos apelaram na segunda-feira à adesão da população à campanha de vacinação contra a covid-19, sobretudo na ilha de Santiago, onde o processo está mais atrasado.

Jovens saudáveis dos 12 aos 15 anos têm que esperar por ‘task force’ para vacinação

A DGS determina que as crianças com idades entre os 12 e os 15 anos que tenham cancro ativo, diabetes, obesidade, insuficiência renal crónica estão entre as que devem ser vacinadas prioritariamente contra a covid-19.
Comentários