Tiago Mayan: “o primeiro ministro, de forma arrogante, ignora uma greve de fome à frente do Parlamento”

Reconheçam o sacrifício daqueles que nem a Pão e água estão à frente do Parlamento desde sexta feira. E tenham a mínima decência de os receber”, disse o candidato presidencial pela Iniciativa Liberal, em comunicado.

Tiago Mayan
Tiago Mayan

O candidato presidencial pela Iniciativa Liberal, Tiago Mayan, criticou esta terça-feira o primeiro ministro e o Presidente da República por não ouvirem a greve de fome dos membros do movimento “A pão e água”, formado por empresários da restauração.

“O primeiro ministro, de forma arrogante, ignora uma greve de fome à frente do Parlamento”, disse o candidato presidencial, em comunicado divulgado esta terça-feira.

O Presidente da República também foi alvo de críticas. “O Presidente dos afetos, cobardemente, despreza uma atrocidade a acontecer”.

“Tenham vergonha e oiçam-nos”, vincou Tiago Mayan. “Tenham vergonha na cara todos os que dos altos passos de Belém ignoram a fome. Tenham vergonha na cara todos que usam a fome de uns para proveito próprio”.

“Reconheçam a destruição que causaram e a bem das milhares de famílias dependentes da restauração oiçam-nos. Reconheçam o sacrifício daqueles que nem a Pão e água estão à frente do Parlamento desde sexta feira. E tenham a mínima decência de os receber”, disse o candidato presidencial pela Iniciativa Liberal.

Relacionadas

“Daqui a um ou dois dias alguém vai cair”. Movimento “A Pão e Água” pede tributação reduzida pela metade

Reunidos em circulo, com dois aquecedores a meio e sentados, assim permanecem os participantes da greve de fome enquanto aguardam pela ajuda do Governo. “Parece um reality show, tem sido difícil”, confessou ao JE Ljubomir Stanisic reforçando que “emocionalmente temos altos e baixos como tudo, tem sido duro”.

Movimento ‘A Pão e Água’ pede apoio ao Presidente da República e inicia greve de fome

O Movimento Sobreviver a Pão e Água, que junta empresários e trabalhadores da restauração e similares, apelou esta sexta-feira a que o Presidente da República “interceda urgentemente a favor do sector”, tendo alguns membros iniciado uma greve de fome.

“Os fins de semanas eram o nosso oxigénio”. Empresários da restauração de todo o país manifestam-se hoje em frente ao Parlamento

Empresários da restauração vão protestar esta quarta-feira em Lisboa contra as restrições impostas no Estado de Emergência. Rejeitam linhas de créditos e exigem apoios a fundo perdido.
Recomendadas
Marta Temido em entrevista à RTP

Fecho imediato de todas as escolas vai ser discutido em Conselho de Ministros nesta quinta-feira

Ministra da Saúde admite que é possível chegar a 20 mil mortes causadas pela pandemia até março. Variante britânica do coronavírus SARS-CoV-2 representa 20% dos casos de infeção e poderá chegar aos 60%.

“Ingerência” ou “acusações falsas”? Caso do procurador europeu divide Parlamento Europeu

Apenas o grupo político europeu que integra o PS aceitou sem reservas as explicações do Governo português. O grupo político do PSD e CDS-PP diz que “disparates destes são próprios de outras latitudes” e que é preciso investigar o caso. Já o GUE/NGL, onde está o BE e o PCP, não se opõe à nomeação, mas lamenta “trapalhada grave” que ameaça manchar a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

PS pede a PSD que evite “aproveitamento partidário” da pandemia

“Temos de evitar que haja tentativas de aproveitamento partidário numa circunstância especialmente difícil, dramática, da nossa vida coletiva”, disse à agência Lusa o dirigente socialista, respondendo, assim, a Rui Rio, que pediu hoje ao primeiro-ministro, António Costa, para encerrar as escolas a partir de quinta-feira, de modo a conter a propagação do SARS-CoV-2.
Comentários