Timor-Leste forma professores em língua portuguesa

Parceria luso-timorense assegura formação contínua em língua portuguesa para professores do ensino. Uma iniciativa de 16 milhões de euros.

A formação de professores é complexa, demora tempo e requer dinheiro, mas é a única forma de ter professores devidamente preparados.

Timor-Leste persegue esse desiderato e com o apoio de Portugal vai dar início a um novo projeto de formação contínua de professores. O “Pró-Português” aposta no desenvolvimento das competências e na proficiência em língua portuguesa – nível B2 – dos professores de todos os ciclos de ensino, desde o pré-escolar até ao secundário, passando pelo ensino básico de escolas dos 65 Postos Administrativos de Timor-Leste.

Luís Faro Ramos, presidente Instituto Camões de Cooperação e da Língua, que assinou o protocolo em Timor-Leste, explicou, citado pelo “Mundo Português”, que haverá cerca de “520 horas de formação por ano para uma média de 4.300 professores”, permitindo a todos os professores do sistema educativo atingir o nível B2 nos três anos do programa.

A ministra da Educação e Desporto, Dulce Soares, citada pela mesma publicação, explicou que esta é a resposta ao problema identificado em 2015 em testes diagnósticos: “78% dos professores timorenses (…) possuíam um conhecimento incipiente de língua portuguesa, o que resultava em dificuldades no seu uso como língua de instrução em sala de aula”.

O projeto, orçado em 16,28 milhões de euros, dos quais 3,34 milhões serão co-financiados por Portugal, vai ser concretizado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e pelo timorense Instituto Nacional de Formação de Docentes e Profissionais da Educação. O mesmo envolve 33 professores portugueses, dois coordenadores e 53 formadores efetivos timorenses, e igual número de suplentes.

Recomendadas

Brasil lança portal para impulsionar mobilidade académica internacional

A plataforma online, lançada durante a conferência anual da FAUBAI em Belém do Pará, disponibiliza mais de 1.300 atividades e cursos para estudantes estrangeiros.

Pais podem aprender a escolher livros para os filhos

Faculdade de Ciências Humanas da Católica promove curso livre de livro infantil, apoiado pela APEL.

Oeiras elege ciência como prioridade

Município vai investir 400 milhões de euros no programa Oeiras Valley para consolidar a centralidade do concelho. Ciência e educação estão na linha da frente.
Comentários