“Todo o trabalho prestado deve ser remunerado”. Saiba o que levou ao fim da greve dos motoristas

O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, revelou este sábado, 7 de setembro, existir um “acordo de princípio” com a Antram que permitiu a desconvocação da greve, cujo início esteve previsto para as 00:00 de hoje.

Francisco_São_Bento_pardal_henriques_SNMMP_sindicato_motoristas_greve
Rodrigo Antunes/Lusa

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou este sábado, 7 de setembro, a desconvocação da greve ao trabalho extraordinário, fins de semana e feriados, que se deveria prolongar até dia 22 de setembro, porque chegou a um princípio de acordo com a  Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram). Mas o que mudou? “A formulação do articulado”, noticia o “Público” que teve acesso ao acordo.

O sindicato e a associação patronal chegaram a um princípio de acordo para a desconvocação da greve, pois, do lado do SNMMP, caiu a reivindicação que tinha sido acordado a 9 de Maio e que já balizava a progressão salarial dos motoristas de matérias perigosas até 2022.

Este recuo significa que todos os pormenores serão discutidos no âmbito da revisão e atualização do Contrato Colectivo de Trabalho Vertical (CCTV).

Desta forma, as conversações entre SNMMP e Antram regressam ao acordado em 17 de maio, quando um acordo de princípio foi assinado após a primeira greve destes motoristas, em abril.

Em contrapartida, “as partes reconhecem, também, que o limite máximo das horas de trabalho […] não pode ser ultrapassado” e que “todo o trabalho prestado pelos motoristas deve ser remunerado”, cita o “Público”.

“As partes reconhecem que, nos termos da Cláusula 21ª do CCTV em vigor, a empresa e os trabalhadores devem realizar o seu trabalho nos moldes em que sempre o fizeram, devendo ambas respeitar o limite máximo de 60 horas numa concreta semana e o limite de 48 horas em média, por semana, num período de referência a negociar entre as partes, entre o próximo dia 16 e 18 de Setembro de 2019”. Lê-se uma outra cláusula do princípio de acordo assinado na madrugada deste sábado.

Ler mais
Relacionadas
Francisco_São_Bento_pardal_henriques_SNMMP_sindicato_motoristas_greve

Greve dos motoristas desconvocada após princípio de acordo com Antram

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou hoje a desconvocação da greve ao trabalho extraordinário, fins de semana e feriados que se deveria prolongar até dia 22 de setembro.

Pedro Nuno Santos: “Tempo de greve terminou e começou o tempo do diálogo”

“O país está cansado destas greves, não temos dúvidas de que os motoristas também, as empresas também. Foram quatro pré-avisos de greve em pouco mais de quatro meses”, afirmou Pedro Nuno Santos,
Recomendadas

OE2020: Docentes criticam subfinancioamento do ensino superior com verbas equivalentes a 2002

Os professores contestaram esta quarta-feira a opinião do ministro segundo a qual o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) é o melhor dos últimos anos para o ensino superior, lembrando que a dotação prevista é semelhante à de 2002.

Centeno encontra o ‘Wally’ de Rio: É um “ajustamento feito em todos os países”

Rui Rio tem insistido na discrepância de 590 milhões de euros em dois quadros do Orçamento do Estado para 2020. Mário Centeno prometeu não voltar a falar da taxa de execução da Câmara do Porto durante a gestão do social-democrata e explicou as reservas e dotações orçamentais.

OE2020: MAI anuncia recrutamento de 10 mil efetivos para forças de segurança até 2023

O ministro da Administração Interna anunciou hoje no parlamento o recrutamento de cerca de 10 mil elementos para as forças e serviços de segurança até 2023 no âmbito do plano plurianual da admissão.
Comentários