Todos merecem uma oportunidade

Literacia Digital para o Mercado de Trabalho é um curso pioneiro lançado pelo Politécnico de Santarém. Objetivo? Integrar jovens com deficiência intelectual.

Palácio das Laranjeiras, Lisboa. A Literacia Digital para o Mercado de Trabalho traz à capital os alunos deste curso pioneiro, destinado a pessoas com deficiência intelectual, lançado pela Escola Superior de Educação do Politécnico de Santarém.
Os alunos apresentam a Manuel Heitor, no Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, os trabalhos práticos que fazem nas suas aulas. A presença do ministro deixa Luísa visivelmente emocionada. Miguel, outro dos alunos, explica a Manuel Heitor como são os exercícios que podem melhorar as suas capacidades motoras. Mais tarde, Maria e Pedro dirão como desenvolveram o seu projeto de construção de perfis profissionais, enquanto Helena e Teresa falam dos novos conceitos de aprendizagem que lhes estão a mudar a vida.
Lançado no ano letivo 2018/2019, o curso de Literacia Digital para o Mercado de Trabalho não confere grau mas responde a todas as diretivas do Conselho Nacional de Educação, o que lhe dá certificação legal. Trata-se de uma formação inclusiva, destinada a quem normalmente não tem essa oportunidade e pretende ser uma ferramenta para a integração dos jovens no mercado de trabalho.
Os critérios de seleção exigem a apresentação de um atestado de incapacidade igual ou superior a 60%, competências básicas mínimas ao nível da leitura e da escrita e competência média/alta em termos de sociabilidade. Os candidatos serão ainda submetidos a uma entrevista de avaliação psicopedagógica.
O curso conta com parcerias com instituições, nomeadamente o projeto Ler+ Ciência – uma iniciativa conjunta do Plano Nacional de Leitura, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Ciência Viva – e empresas, como El Corte Inglês, Galp, Microsoft e Super Bock.
O lançamento deste modelo de formação inclusiva em contexto de ensino superior valeu à Escola de Santarém o primeiro prémio no Seminário Internacional “Educação Inclusiva – Atitudes que Transformam”, em setembro último.
O curso pretende “colmatar uma lacuna na oferta formativa em Portugal, minimizando a falta de formação profissional adaptada”.
No Palácio das Laranjeiras, Susana Colazo, porta-voz do IP Santarém disse o que lhe ia na alma: “Temos estado todos envolvidos e comprometidos com este projeto, estamos muito orgulhosos desta instituição”.

Recomendadas

Internacionais crescem em todos os níveis do superior

Os alunos estrangeiros representam uma grande fatia dos jovens que estudam nas nossas universidade e politécnicos. Há cursos onde já ultrapassam em largo número os portugueses.

Trazer mais mundo para Lisboa

Nova diretora do The Lisbon MBA traz na bagagem experiência de vida e profissional que quer plasmar no desafio que tem pela frente: consolidar o mais internacional dos MBA portugueses.

As perspetivas dos gestores: como antecipar paradigmas e conseguir alocações de capital eficientes

A geopolítica e as alterações de paradigma são cruciais para entender a eficiente alocação de capital. Depois é preciso tentar antecipar as prováveis evoluções macro, tanto a nível setorial como geográfico.
Comentários