Premium“Todos os governos deveriam reduzir a carga fiscal nas empresas”, sugere presidente da CIP

António Saraiva, presidente da CIP, defende a importância de uma política orçamental estável e que não dependa das cores partidárias dos executivos para promover o investimento no país.

Cristina Bernardo

O alívio da carga fiscal e uma política orçamental contínua são pontos cruciais para aumentar o investimento em Portugal e fortalecer a competitividade internacional do tecido empresarial nacional, pelo que deveriam ser encarados como uma prioridade por qualquer governo, alerta António Saraiva. O presidente da Confederação Empresarial Portuguesa (CIP), conhecido na praça pública como o “patrão dos patrões”, defende uma política orçamental que não se altere consoante as cores partidárias que prevalecem nas eleições, como tem acontecido.

“Os políticos poderão ter a consciência de que a política fiscal é determinante para a promoção do investimento, mas temos assistido a ciclos”, começou por dizer o presidente da CIP, convidado da segunda edição do JE 30’ a 3, um ciclo de conferências mensais organizadas pelo Jornal Económico e pelo Montepio Crédito, e que se realizou esta terça-feira, no restaurante Olivier Avenida, em Lisboa.

Artigo publicado na edição semanal de 30 de agosto de 2019, do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

5G: Começou hoje a segunda fase da migração das frequências da TDT

A segunda fase da alteração da rede de emissores da televisão digital terrestre (TDT) arrancou esta segunda-feira, 24 de fevereiro, em Vila Nova de São Bento, no concelho de Serpa, um passo essencial para a implementação da quinta geração móvel (5G).

EUA: coronavírus não prejudica, por enquanto, a ‘phase 1’ do acordo comercial com a China

O secretário do tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, reconhece que o coronavírus pode atrasar o início das negociações sobre o aprofundamento do acordo comercial com Pequim, mas garantiu não estar preocupado com esse cenário.
catarina_martins_bloco_esquerda_legislativas_1

BE quer subsídio de alimentação da Função Pública como referência para o setor privado

A medida consta de um projeto de lei apresentado pelos bloquistas, que visa que o subsídio diário de alimentação dos trabalhadores do setor privado não seja inferior ao que definido para os trabalhadores da Administração Pública.
Comentários