“Tomada de posse histórica”. A reação dos líderes mundiais à posse de Joe Biden e Kamala Harris

Israel, Portugal, Canadá, Índia e França. Nenhum líder mundial quis deixar de felicitar a dupla Joe Biden-Kamala Harris por tomarem posse dos Estados Unidos e por regressarem ao Acordo de Paris, do qual saíram no ano passado por causa de Donald Trump.

Joe Biden jurou esta quarta-feira proteger e servir os Estados Unidos da América enquanto o 46º presidente da nação norte-americana e Kamala Harris tomou posse como a 49º vice-presidente, tornando-se ainda a primeira mulher a assumir o cargo.

Face à nova presidência dos Estados Unidos, que se compromete a ser mais unida e mais concisa, abandonando todo o legado deixado por Donald Trump, os líderes mundiais desejaram as suas felicitações à equipa e mostraram-se satisfeitos por trabalhar futuramente com a administração Biden-Harris.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, felicitou os dois governantes no Twitter. “A liderança da América é vital nos problemas que nos interessam a todos, desde as alterações climáticas à Covid-19, e estou ansioso para trabalhar com o presidente Biden”, lê-se na publicação de Boris Johnson, acrescentando que o regresso dos EUA ao Acordo de Paris “é uma notícia extremamente positiva” e espera “trabalhar com os nossos parceiros dos EUA para fazer tudo o que pudermos para proteger o nosso planeta”.

Também o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, escreveu na rede social Twitter estar “ansioso para trabalhar com o presidente Biden, a vice-presidente Kamala Harris, a sua administração, e com o Congresso dos Estados Unidos enquanto nos esforçamos para tornar os nossos países mais seguros, prósperos e resilientes”.

“Os nossos países enfrentam alguns dos maiores desafios da História juntos”, escreveu Trudeau no Twitter, apontando em comunicado que pretende trabalhar com os dois governantes para “promover a ação climática e o crescimento económico, promover a inclusão e a diversidade”.

“As mais calorosas felicitações para Joe Biden para assumir o cargo de presidente dos Estados Unidos da América. Espero trabalhar com ele para fortalecer a parceria estratégica Índia-EUA”, escreveu o primeiro-ministro indiano Narendra Modi.

O primeiro-ministro da Índia desejou ainda os seus “melhores votos de um mandato de sucesso na liderança dos EUA, uma vez que permanecemos unidos e resilientes para enfrentar os desafios comuns e promover a paz e a segurança global”.

Ainda a dirigir-se à tomada de posse de Kamala Harris como vice-presidente, Modi assumiu que esta foi “uma ocasião histórica” e que está “ansioso” para trabalhar com Harris para tornar as relações entre os dois países “mais robustas”.

A presidente de Taiwan, que recebeu o convite para estar presente na tomada de posse pela primeira vez de 1979, desejou “todo o sucesso” à nova equipa da Casa Branca e assumiu que a ilha “está pronta para trabalhar com vocês como uma força global para o bem”.

Também o presidente francês, Emmanuel Macron, decidiu deixar uma mensagem aos dois líderes americanos, desejando-lhes “tudo de nom no dia com maior significado para o povo americano”. No Twitter, Macron fez questão de evidenciar o regresso dos Estados Unidos ao Acordo de Paris, algo prometido por Biden durante a campanha, depois de Donald Trump renunciar as metas.

A chanceler alemã, Angela Merkel, passou a mensagem através do seu assessor, felicitando Biden e Harris pela tomada de posse e usando o nome POTUS (Presidente dos Estados Unidos da América, em inglês), nome da conta previamente entregue a Trump. “Uma verdadeira celebração da democracia americana”, escreveu o assessor da governante alemã.

Também o primeiro-ministro português, António Costa, reagiu à tomada de posse de Joe Biden. “Prontos para trabalhar com o presidente Joe Biden desde o primeiro dia para fortalecer as relações UE-EUA, para reafirmar a relevância da Nato e reforçar as respostas multilaterais a questões como as alterações climáticas e a defesa da democracia e dos direitos humanos”, escreveu Costa no Twitter.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, mostrou satisfação com o regresso dos EUA ao Acordo de Paris e afirmou que este regresso será “um ponto de partida muito forte para a renovação da nossa cooperação”. No vídeo que acompanhava a publicação, von der Leyen disse que “este novo amanhecer na América é o momento pelo qual esperámos tanto tempo”. “A Europa está pronta para um novo começo com o nosso mais antigo e mais confiável parceiro”, continuou a presidente da Comissão.

O presidente de Israel, Benjamin Netanyahu, felicitou Biden e Harris e mostrou-se entusiasmado por fortalecer os laços entre os Estados Unidos e Israel, fazendo saber que partilha “uma amizade pessoal [com Biden] que remonta a muitas décadas”.

Ler mais
Relacionadas

Ambiente, imigração e igualdade racial. Joe Biden afasta-se de legado deixado por Donald Trump

Máscaras, distanciamento social, clima, imigração e economia. Estes são os principais focos de Joe Biden enquanto assume o seu novo lugar na Sala Oval para a presidência norte-americana.

Biden: Presidente dos EUA assina regresso ao Acordo de Paris

Os Estados Unidos deixaram, em 04 de novembro, formalmente o Acordo de Paris, um pacto global firmado há cinco anos com o objetivo de travar a ameaça de uma mudança climática catastrófica.

Administração Biden anuncia suspensão por 100 dias das deportações de imigrantes

“Durante 100 dias, a partir de 22 de janeiro de 2021, o DHS [Departamento de Segurança Nacional] suspenderá as deportações de certos não cidadãos cujas deportações foram ordenadas”, disse o secretário interino David Pekoske, recentemente nomeado por Biden.

Tomada de posse de Biden marcada pela segurança e sem qualquer distúrbio

As preocupações com segurança no dia da transição de poder nos EUA levou a um aparato nunca antes visto em Washington, mas também nos Capitólios estatais por todo o país. A cerimónia correu, ainda assim, sem imprevistos ou distúrbios.

Tomada de posse de Joe Biden: 23 minutos de apelo à unidade

Num discurso praticamente monotemático, o novo presidente dos Estados Unidos afirmou saber as causas da fratura em que o país vive e pediu a todos que se lhe juntem para salvar a democracia. Trump, o assalto ao Capitólio e a Covid-19 foram os temas omnipresentes.

Primeiro-ministro: “Estamos prontos para trabalhar com o presidente Joe Biden”

António Costa pretende “fortalecer as relações União Europeia-Estados Unidos” e “reafirmar a relevância da NATO”.
Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.
catarina_martins_oe_2020

Covid-19: Catarina Martins faz um apelo a Costa para que estenda já as moratórias

“Deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já”, num comício maioritariamente virtual que assinalou o encerramento da conferência autárquica online e os 22 anos do BE, que comemora no domingo a sua fundação.

Covid-19: Uma centena de manifestantes anticonfinamento em Lisboa

À Lusa, o comissário Santos, da PSP, referiu que a concentração, promovida pelo Movimento Habeas Corpus, associado aos Juristas pela Verdade, chegou a reunir “cerca de cem pessoas”, por volta das 13h00, e que há meia hora estariam ainda 35 manifestantes no local.
Comentários