PremiumTomás Correia recandidata-se à presidência da Associação Montepio

Está desfeito o tabu. Tomás Correia é o líder da Lista A na corrida à liderança da Associação Mutualista e leva Maria de Belém e Manuela Eanes.

António Tomás Correia vai encabeçar a Lista A para as eleições para um novo mandato do Montepio Geral Associação Mutualista, disse ao Jornal Económico fonte conhecedora do processo. As listas terão de ser entregues até dia 31 deste mês.

Depois de ter tentado, sem sucesso, “alguém mais jovem que pudesse ter uma visão coincidente com a sua, com uma idade na casa dos 50 anos, e que fosse uma pessoa do Montepio”, tal como disse em entrevista esta semana à Lusa, Tomás Correia, decidiu recandidatar-se a um novo mandato.

Por que se recandidata Tomás Correia à liderança da Associação Mutualista? “Porque quer assegurar uma responsável transição de mudança de regulador para a ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões” e porque “considera ser de enorme responsabilidade a definição dos estatutos que vão consubstanciar a nova lei das mutualistas”, revela a mesma fonte. Isto é: as duas grandes preocupações de Tomás Correia são a revisão  estatutária que o novo Código Mutualista impõe, e a transição para um novo regulador. O atual presidente da Associação defendeu recentemente em entrevista ao Jornal Económico a implementação da democracia representativa.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Tomás Correia admite ganhar “muito bem” mas explica que nenhum salário paga o que tem sofrido

“Para mim, em termos anuais, depois de pagar os meus impostos, dará um rendimento na ordem dos 11 mil euros, que é quanto eu ganho líquido por mês, vezes 14 meses”, disse.

Tomás Correia diz que Mutualista precisa de alguém jovem mas admite recandidatar-se

O presidente da Associação Mutualista Montepio, Tomás Correia, mantém o tabu sobre a sua recandidatura à liderança, admitindo fazê-lo “no limite”, se não encontrar alguém mais jovem para o substituir.
Recomendadas

Linha de apoio a micro e pequenas empresas disponível a partir desta quarta-feira

Para se poderem candidatar, as empresas terão de apresentar uma quebra abrupta e acentuada de pelo menos 40% da sua faturação, e não poderão ter beneficiado das anteriores linhas de crédito com garantia mútua. A SPGM avisa que as empresas em dificuldades não podem ter sede em países ou regiões com regime fiscal mais favorável (‘offshore’)”.

Crédit Agricole convidado para colocar as mais recentes emissões sindicadas de obrigações do tesouro

O Crédit Agrícole emitiu um comunicado onde faz o balanço do seu papel na economia portuguesa, onde está presente através da GNB Seguros com 75%; da Eurofactor e do Banco Credibom. Para além de ter ajudado a colocar dívida do Estado português.

Aumento da margem financeira, dos depósitos e número de contas impulsiona rendimentos do Banco CTT

Apesar do atual estado da economia e dos efeitos da pandemia, o Banco CTT registou um crescimento de 63%, para 38,4 milhões de euros, nos rendimentos do primeiro semestre de 2020. O banco registou 2,9 mil pedidos de moratórias, expondo um total de 66,6 milhões de euros, o que representa “cerca de 7% do total da carteira bruta de crédito” da instituição bancária.
Comentários