Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

Na semana em que será conhecido o défice orçamental do primeiro semestre, o Plano de Recuperação e Resiliência vai também estar em destaque, com audiências do primeiro-ministro aos partidos e ao Conselho Económico e Social sobre o tema, antes do debate no Parlamento. A centrar atenções estarão os dados da execução orçamental de agosto, mas também à votação da constituição da Comissão de Inquérito ao Novo Banco.

joão_leão_tomada_posse_1
Tiago Petinga/Lusa (Pool)

Segunda-feira, 21 de setembro

Evento em destaque: Primeiro-ministro recebe partidos políticos sobre o Plano de Recuperação

O primeiro-ministro, António Costa, recebe os partidos políticos para receber os contributos sobre Plano de Recuperação e Resiliência, que irá apresentar dia 14 de outubro, um dia antes de ser entregue à Comissão Europeia. O Chefe de Governo começa por receber a Iniciativa Liberal (10h00), seguida pelo PEV (10h45), PCP (11h30) e PAN (12h45). No período da tarde tem agendadas audiências com o Chega (15h00), o CDS (15h30), o Bloco de Esquerda (16h30) e o PSD (18h00).

Outros eventos em foco:

  • INE publica as Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação.
  • Banco de Portugal divulga os dados do endividamento da economia e do financiamento das administrações públicas.
  • Comissão Europeia publica a confiança dos consumidores da zona euro, de setembro.

Terça-feira, 22 de setembro

Evento em destaque: Aquisição de imóveis por não residentes

O Instituto Nacional de Estatística publica os dados sobre a aquisição de imóveis em Portugal por não residentes, em 2019. Segundo os dados do organismo de estatística, em 2018, 8,2% dos imóveis transacionados em Portugal foram vendidos a não residentes, correspondendo a 13% do valor total transacionado. “O crescimento expressivo em 2018 das vendas de imóveis a não residentes, 14,5% em número e 22,2% em valor, foi contudo menor que o observado em 2017”, explicou na altura o INE. Em 2018 o valor médio dos prédios vendidos a não residentes fixou-se em 171.178€, mais 58% que o valor médio das transações globais (108.016euros).

Outros eventos em foco:

  • Primeiro-ministro reúne com o Conselho Económico e Social sobre o Plano de Recuperação e Resiliência.
  • INE divulga o Índice de Preços da Habitação, do segundo trimestre.

Quarta-feira, 23 de setembro

Evento em destaque: INE publica o défice do primeiro semestre

A fotografia sobre o impacto da pandemia no défice irá tornar-se mais nítida esta quarta-feira, quando o INE publicar as contas nacionais por setor institucional, referentes ao primeiro semestre. A UTAO estima que Portugal tenha registado um défice de 5,8% do PIB nos primeiros seis meses do ano, na óptica que conta para Bruxelas. Os dados divulgados pelo INE estão associados ao Procedimento dos Défices Excessivos, pelo que o Governo pode também utilizar este meio para atualizar as estimativas para a dívida pública deste ano. São ainda conhecidos dados como a poupança das famílias, o investimento público, entre outras indicadores.

Outros eventos em foco:

  • A Comissão de Orçamento e Finanças debate e vota, entre outros temas, as regras sobre as nomeações para o Banco de Portugal, um requerimento do Bloco de Esquerda para a divulgação pública imediata e integral do relatório de Auditoria especial ao Novo Banco e um requerimento do PS para que seja solicitado ao Novo Banco e ao Banco de Portugal, a disponibilização, ainda que a título confidencial, da carta do Banco Central Europeu relativa à análise e resposta à auditoria especial, realizada pela Deloitte ao Novo Banco.
  • Debate em Plenário sobre a “Visão estratégica para o Plano de recuperação económica de Portugal 2020-2030”.

Quinta-feira, 24 de setembro

Evento em destaque: Cimeira europeia com diversos temas na agenda

Os líderes europeus vão reunir-se para uma Cimeira extraordinária em Bruxelas, convocado pelo presidente Charles Michel em agosto. Na agenda estão temas relacionados com o mercado único, a política industrial e a transformação digital, bem como com as relações externas, nomeadamente as relações com a Turquia e com a China, mas também um balanço da situação da pandemia.

Outros eventos em foco:

  • INE divulga as estatísticas de rendas da habitação ao nível local, do primeiro semestre.
  • Banco de Portugal publica a sinopse de atividades de supervisão comportamental.
  • É conhecido o PMI Industrial e de Serviços da zona euro, em setembro.

Sexta-feira, 25 de setembro

Evento em destaque: DGO publica a síntese da execução orçamental

A Direção-Geral do Orçamento divulga os dados da execução orçamental de agosto. Até julho, o défice das administrações públicas – na óptica da contabilidade pública – voltou a agravar-se em julho, atingindo os 8.332 milhões de euros, devido ao impacto da pandemia. O Estado registou um aumento no défice de 7.853 milhões de euros em contabilidade pública, até ao sétimo mês deste ano, face ao período homólogo. A evolução resulta do efeito combinado de contração da receita de 10,5% e de crescimento da despesa de 5,3%.

Outros eventos em foco:

  • Parlamento vota a constituição de uma eventual comissão de inquérito ao Novo Banco.
Ler mais

Recomendadas

‘Falcões’ vs ‘pombas’ no BCE. Lagarde vai dar sinal forte, mas tensões devem adiar estímulos

O banco central da zona euro está novamente dividido entre os que querem mais estimulos já e os que preferem aguardar. Christine Lagarde tem espaço de manobra e deverá aguardar até dezembro, quando tiver novas projeções e melhor visão sobre riscos politicos. A mensagem de hoje deverá ser, portanto, de promessa de agir face ao aumento de riscos.

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

O tema em destaque nesta quinta-feira é a reunião com os governadores do Banco Central Europeu. Na Assembleia da República o dia ficará marcado pelas audições ao Tribunal de Contas e ao ministro da Ciência sobre o Orçamento do Estado para 2021. O INE vai publicar estatísticas relativamente às empresas, ao turismo e desemprego.

Corrida à liderança da OCDE gera tensões entre EUA e Europa

A nomeação para o cargo poderá, segundo alguns analistas e políticos próximos da organização, definir o futuro da globalização. As diferentes preferências europeias e americanas podem levar a mais um foco de tensão entre os dois blocos, sendo que, caso Joe Biden vença, levanta-se a questão sobre a sua escolha para o cargo, que deverá diferir da expressa pelo presidente Trump.
Comentários