Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana começa com a estreia de Christine Lagarde, enquanto presidente do Banco Central Europeu, em audição no Parlamento Europeu. Na cimeira do clima em Madrid, que decorre até 13 de dezembro, os países da ONU tentarão comprometer-se com metas mais ambiciosas sob o olhar de Greta Thunberg, uma das participantes. Saber-se-á ainda se, esta semana, a Saudi Aramco consegue igualar a operação pública de venda da Alibaba, angariando 25 mil milhões de dólares. A OPEP + reúne-se em Viena para definir metas de produção de petróleo para 2020. A semana termina com os dados sobre a criação de emprego nos EUA.

Audição de Christine Lagarde no Parlamento Europeu no dia da Cyber Monday

Segunda-feira marca a estreia de Christine Lagarde enquanto presidente do Banco Central Europeu (BCE). Depois de ter sucedido a Mario Draghi, a francesa que deixou o FMI será ouvida pelos deputados europeus, com os investidores atentos ao que a nova presidente estará a pensar delinear para o futuro da política monetária europeia.

O primeiro dia de semana marca ainda o final da época de consumo antes do Natal, nos Estados Unidos – e um pouco por todo o mundo. Depois do Dia de Ação de Graças e da Black Friday, nos dias 28 e 29 de novembro, respectivamente, esta segunda-feira é o dia da Cyber Monday, dia do retalho online. As cotadas do ecommerce, retalho, tecnologia e bens de luxo estarão no centro das atenções dos investidores após o fecho dos mercados.

Entre os dias 28 de novembro e 2 de dezembro, as estimativas dos analistas é que os consumidores norte-americanos gastem, no seu conjunto, 29 mil milhões de dólares em compras online.

Cimeira do Clima das Nações Unidas

A cimeira do clima em Madrid da Organização das Nações Unidas também arranca logo no primeiro dia de semana e dura até dia 13 de dezembro. Delegados de quase 200 países reunir-se-ão na capital espanhola para com vista a alcançarem um cardo sobre o mercado global de compensações de CO2 e convencer os signatários do Acordo de Paris, celebrado em 2015, a comprometerem-se com objetivos mais ambiciosos. A famosa ativista adolescente sueca, Greta Thunberg, estará entre os participantes.

‘Ouro negro’ marca a semana

Na quarta-feira, dia 4 dezembro, serão divulgados os resultados da operação pública de venda da petrolífera estatal da Arábia Saudita, a Aramco, quando terminar o prazo para os investidores institucionais subscreverem as ações da líder de facto da organização dos países exportadores de petróleo (OPEP).

O objetivo da Aramco passa por levantar 25 mil milhões de dólares, a uma avaliação de 1,7 biliões de dólares, colocando em bolsa 1,5% do capital no Tadawul, a bolsa local e Riyadh. A concretizar-se o montante angariado, a OPV da Aramco iguala a Alibaba que, em 2014, se estreou no Nasdaq levantando precisamente 25 mil milhões de dólares.

A OPEP + reúne-se em Viena, na Áustria, nos dias 5 e 6 de dezembro, com o objetivo de delinear a estratégia de produção de crude no próximo ano.

Emprego nos EUA

Sexta-feira serão divulgados os sobre a criação de emprego na maior economia mundial relativos a novembro. Espera-se um aumento devido a reintegração de 45 mil trabalhadores da General Motors. Os economistas sondados pela Bloomberg estimam que os EUA tenham criado 188 mil postos de trabalho no mês passado.greta

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha em alta com acordo na guerra comercial

Os EUA irão retirar progressivamente as tarifas sobre as exportações chinesas e a China irá adquirir mais exportações americanas. A China confirmou o acordo com os EUA.

Preço do barril de Brent sobe 1,64% para 65,25 dólares

O preço do barril de petróleo Brent para entrega em fevereiro terminou hoje no mercado de futuros de Londres em alta de 1,64%, para os 65,25 dólares. O crude do mar do Norte, de referência na Europa, concluiu a sessão no International Exchange Futures a cotar 1,05 dólares acima dos 64,20 com que encerrou as […]

Bolsa de Lisboa sobe com BCP a valorizar quase 2%

A sessão foi marcada essencialmente por dois fatores. Por um lado a vitoria dos Conservadores nas eleições inglesas e o alegado acordo na fase 1 entre os EUA e a China. Por cá BCP, EDP e Galp lideram ganhos e NOS e Altri lideram perdas.
Comentários