Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta terça-feira

Os números do desemprego em Espanha referentes ao mês de junho deverão sugerir uma ligeira subida contrariamente ao que se verificou nos meses anteriores. Analistas antecipam que em agosto, devido à subida de novos casos no país, o número de desempregados volte a subir.

O país vizinho prepara-se para divulgar os dados respetivos ao desemprego no mês de julho que deverão representar uma ligeira inversão da tendência de queda registada nos meses anteriores.

Dos 10 países que já apresentaram números do PIB do segundo trimestre, Espanha teve a maior contração com um tombo em cadeia de 18,5%. Uma das consequências mais visíveis dessa recessão tem sido o desemprego, que registou aumentos de 302 mil em março e 283 mil em abril, antes de desacelerar para 26,6 mil e 5,1 mil em maio e junho, respetivamente. Em julho, segundo a estimativa da Trading Economics, a tendência deverá ter invertido, com uma redução de três mil pessoas desempregadas, mas tendo em conta o aumento de novos casos de Covid-19 no país, as previsões para agosto já são mais sombrias.

Produção industrial

O Eurostat vai avançar com os dados referentes aos preços da produção industrial em junho. A produção industrial começou a recuperar na União Europeia (UE) e na zona euro em maio, depois de dois meses de fortes quebras devido ao confinamento imposto pela Covid-19, mas apresentou ainda fortes quedas homólogas.

De acordo com dados divulgados pelo gabinete estatístico europeu, a produção industrial aumentou 12,4% na zona euro e 11,4% na UE, face a abril, após dois meses de quebras devido às medidas de confinamento que vigoraram devido à pandemia do coronavírus SARS-CoV-2. Já na comparação com o mesmo mês de 2019, a produção industrial apresentou um recuo de 20,9% na zona euro e 20,5% na UE.

Empresas

O período de divulgação de resultados vai continuar na Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos. Esta terça-feira, a Bayer e a Hugo Boss apresentam os dados do segundo trimestre à semelhança da BP e da Diageo e da Walt Disney, Fox Corp e Western Union.

Ler mais

Recomendadas

Governo da Madeira adjudicou empréstimo de 458 milhões de euros sem aval do Estado

A Região Autónoma da Madeira foi autorizada em sede de Orçamento Suplementar do Estado a contrair um empréstimo até 10% do PIB regional de 2018 – 495 milhões de euros – para fazer face à crise provocada pela pandemia.

Vindimas 2020: No Dão, menos rendimento, mas vinhos “fantásticos”

No Dão, a realidade foi semelhante, como região de clima moderado a frio a antecipação foi ainda superior, sendo de cerca 3 semanas.

Portugueses mais preocupados com poupança e com “desconforto” para contrair empréstimos

O inquérito “Observatório Tendências 2020”, realizado pelo Grupo Ageas Portugal e e a Eurogoup Consulting Portugal, concluiu que 39% dos inquiridos sentiram um aumento das necessidades de poupança por causa da pandemia e que preferem não contrair um empréstimos nos próximos meses.
Comentários