Trabalhadores da General Motors em greve a partir de segunda-feira

O sindicato United Auto Workers (UAW), o maior do setor automóvel, marcou hoje uma greve que abrange os cerca de 48 mil trabalhadores do gigante norte-americano General Motors (GM) na primeira paralisação em 12 anos.

Não decidimos a greve de forma leviana (…) este é o nosso último recurso”, afirmou Terry Dittes, vice-presidente do sindicato e encarregado das negociações com a GM numa conferência de imprensa em Detroit.

Dittes anunciou que a greve vai começar às 00:01 horas de segunda-feira, altura em que expira o acordo laboral alcançado há quatro anos e cuja renovação estava a ser negociada.

“Os trabalhadores foram muito claros durante as negociações sobre o que aceitam e o que não aceitam”, acrescentou.

Desde o início das negociações que o sindicato tem tentado evitar que a GM encerre as linhas de produção localizadas nos estados de Ohio e Michigan.

A empresa argumenta que é necessário encerrar instalações para responder às mudanças no mercado automóvel e considera o sindicato demasiado exigente quando pede aumentos salariais, melhor cobertura médica e outros benefícios laborais para os cerca de 48 mil trabalhadores.

As negociações ficaram marcadas por alguma polémica depois do presidente da GM, Gary Jones, enfrentar suspeitas de corrupção por alegadamente ter usado dinheiro da organização para se alojar em hotéis de luxo, comprar charutos e jogar golfe.

Ler mais
Relacionadas

British Airways vai cancelar todos os voos por causa da greve de pilotos a 27 de setembro

A companhia aérea britânica pede “desculpa” pelo facto da greve “ir perturbar, de novo, milhares de planos de viagens” dos passageiros.
Recomendadas

Banco de Portugal vai sujeitar diretores do risco, compliance e auditoria ao ‘Fit & Proper’

Está em consulta pública até ao final de março um projeto de alteração de Aviso do Banco de Portugal que vai rever os requisitos aplicáveis em matéria de governo interno dos bancos. Entre as principais novidades introduzidas pelo regulador, destaca-se o alargamento do processo de avaliação e adequação diretores do risco, de compliance e de auditoria interna, e um relatório anual de autoavaliação dos bancos sobre o cumprimento das regras de controlo interno.

Coca-Cola Portugal nomeia primeira diretora-geral de nacionalidade portuguesa

Sandra Vera-Cruz junta-se a Rui Serpa que, em 2018, assumiu funções de diretor-geral na Coca-Cola European Partners, como os únicos portugueses com funções de chefia numa das maiores empresas ligadas ao setor das bebidas a nível mundial.

Telefónica aposta mais de três mil milhões na La Liga até 2022

Números assegurados pela Telefónica têm por base o potencial que os conteúdos exclusivos da La Liga Santander e La Liga SmartBank que poderão proporcionar outros ganhos no que respeita à retransmissão dos jogos.
Comentários