Transtejo lança concurso de 57 milhões de euros para aquisição de dez navios elétricos

A Transtejo vai lançar, na terça-feira, o concurso para a aquisição de dez navios de propulsão elétrica para as ligações fluviais entre a Margem Sul e Lisboa, num investimento de 57 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Transtejo

“O conselho de administração da Transtejo aprovou hoje a abertura do procedimento para o fornecimento de dez navios de propulsão elétrica, por concurso público com publicidade internacional”, avançou a empresa, em comunicado.

De acordo com a mesma nota, o concurso será lançado na terça-feira, mediante a publicação dos anúncios em Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia.

Já a entrega das novas embarcações “100% elétricas” deverá acontecer “entre 2022 e 2024”, acrescentou.

“A solução alternativa articula-se com a estratégia nacional para as alterações climáticas e com os objetivos fixados para as metas de descarbonização da sociedade”, explicou.

Trata-se de um investimento na ordem dos 57 milhões de euros, que, segundo a Transtejo, se deve à necessidade de “concretizar o processo de renovação da frota”, que se mantém inalterada após “a extinção do anterior procedimento concursal”.

Em fevereiro de 2019 foi publicada em Diário da República uma portaria que autorizava o concurso para a aquisição de dez navios para a Transtejo, num investimento de 90 milhões de euros que previa a chegada de três embarcações já em 2021.

No entanto, este procedimento acabou por ser anulado em dezembro do ano passado, devido à “não demonstração pelos concorrentes do cumprimento dos requisitos de capacidade técnica exigidos”, adiantou o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro ao Jornal de Negócios.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão a Lisboa.

Ler mais
Recomendadas

Huawei já tem 91 contratos para fornecer tecnologia 5G pelo mundo

Apesar da pressão dos EUA sobre países aliados para excluírem a empresa chinesa da expansão das suas redes, 47 dos contratos assinados até agora foram feitos na Europa, 27 na Ásia e os restantes 17 em países não especificados.

Antonoaldo Neves: Quem vai pagar os prejuízos da TAP com a suspensão de 90 dias nos voos para a Venezuela?

A suspensão da TAP nos seus voos para a Venezuela representam prejuízos de pelo menos 10 milhões de euros, referiu o presidente executivo da TAP no final da conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2019.

Efacec assegura que “reúne todas as condições” para pagar salários e a fornecedores

Empresa afasta qualquer cenário de incumprimento, após Isabel dos Santos, que detém perto de 70% da Efacec, ter alertado hoje em comunicado de que o congelamento de contas das suas empresas se estende ao bloqueio de ordens de pagamento de salários, impostos a fornecedores e à Segurança Social.
Comentários