Tribunais de Contas de Portugal e Europeu vão analisar a gestão e controlo dos fundos comunitários

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, e António Costa, Primeiro-ministro, assim como a comissária europeia Elisa Ferreira, têm a sua presença já confirmada neste evento.

O Tribunal de Contas de Portugal e o Tribunal de Contas Europeu vão organizar, a 21 e a 22 de junho próximo, uma conferência conjunta sobre a gestão, controlo e responsabilidades dos fundos europeus.

“O Tribunal de Contas de Portugal e o Tribunal de Contas Europeu juntam-se em Lisboa, nos dias 21 e 22 de junho, numa conferência conjunta sobre os ‘Fundos Europeu: Gestão, Controlo e Responsabilidades’, uma iniciativa que coincide com a Presidência Portuguesa da União Europeia e com o início de um quadro financeiro plurianual da União Europeia, bem como com o do Plano de Recuperação e Resiliência”, destaca um comunicado desta entidade nacional de supervisão.

Segundo o mesmo documento, “em debate estarão as prioridades e os desafios subjacentes ao Quadro Financeiro Plurianual (QFP) e o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a transição climática e o futuro digital, o efeito da pandemia na sustentabilidade das Finanças Pública, os modelos de governação e de controlo”.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, e António Costa, Primeiro-ministro, assim como a comissária europeia Elisa Ferreira, têm a sua presença já confirmada neste evento.

Está também garantida a comparência de vários especialistas e responsáveis de instituições ligadas aos temas em discussão.

O Presidente do Tribunal de Contas de Portugal, José Tavares, e o Presidente do Tribunal de Contas Europeu, Klaus-Heiner Lehne, coorganizadores desta conferência, intervirão na abertura e no encerramento.

“Sinto como obrigação do Tribunal de Contas o desenvolvimento desta conferência no sentido de darmos o nosso contributo para o quadro de aplicação dos fundos da União Europeia e para a construção de um modelo adequado de organização, gestão e controlo que seja gerador de confiança nos cidadãos. O Tribunal de Contas está pronto a participar, tendo por base a experiência de anteriores quadros financeiros plurianuais e sempre no respeito pelo princípio da separação de poderes”, afirma José Tavares.

Para tal, há que investir na qualidade da organização e no planeamento, bem como na eficiência da gestão, incluindo o controlo interno, defende o presidente do Tribunal de Contas de Portugal.

De acordo com José Tavares, “seria adequado não criar estruturas e instituições sobrepostas que dificultam o bom funcionamento do sistema e traduzem desperdício e burocracia”.

“Por outro lado, é essencial dispormos de um quadro normativo claro, procedimentos de contratação com recurso ao mercado, gestão eficiente e eficaz, contas certas, controlo adequado e responsabilização efetiva. Se o novo modelo seguir estes parâmetros, os resultados serão seguramente atingidos!”, sublinha este responsável.

Os organizadores desta iniciativa avisam que, dependendo das condições relacionadas com a pandemia, a conferência terá lugar quer por videoconferência quer presencialmente, sendo aberta a todos os interessados.

 

Ler mais

Recomendadas

Confederação do Turismo: abertura do corredor turístico com Reino Unido é “ótima notícia”

Questionado se está preocupado que a forte afluência de turistas nesta fase possa fazer aumentar o número de novas infeções por covid-19, o presidente da CTP afirmou que não, sustentando que tal se deve ao facto de “todos os turistas, sem exceção,” terem de apresentar “um teste negativo realizado nas 48 horas anteriores” a desembarcarem em qualquer um dos aeroportos nacionais.

Portugal recebe 55,5 milhões de euros de Fundo de Solidariedade da UE após novo aval do PE

Em causa está um ‘bolo’ total de 484,2 milhões de euros do Fundo de Solidariedade da União Europeia para ajudar regiões europeias atingidas por catástrofes, dos quais 397,5 milhões de euros se destinam a 17 países da UE e três países candidatos para enfrentarem a Covid-19.

Merlin vai investir 150 milhões de euros na plataforma logística de Castanheira do Ribatejo

Na cerimónia de inauguração deste emprendimento logístico, que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita, o CEO da Merlin Properties revelou que o grupo dispõe de um total de ativos sob gestão que já ascendem a cerca de 12 mil milhões de euros, gerando um rendimento anual de cerca de 500 milhões de euros
Comentários