Tribunal confirma perda de mandato de presidente e vereador da Maia

A decisão da primeira instância não abrange o ex-presidente da câmara e atual presidente da Assembleia Municipal da Maia, Bragança Fernandes.

O Tribunal Central Administrativo Norte (TCAN) confirmou a perda de mandato do presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, e de um vereador eleito pela mesma coligação, avançou hoje à Lusa um dos advogados do processo.

Esta decisão confirma aquela proferida, em abril, pelo Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) do Porto.

Em causa está um processo movido pelo partido Juntos pelo Povo (JPP) que critica a assunção pela autarquia de uma dívida de 1,4 milhões de euros, que o Fisco imputara ao presidente da câmara, Silva Tiago, ao seu antecessor e atual presidente da Assembleia Municipal, Bragança Fernandes, bem como ao vereador Mário Neves, enquanto ex-administradores da extinta empresa municipal TECMAIA.

A decisão da primeira instância não abrange o ex-presidente da câmara e atual presidente da Assembleia Municipal da Maia, Bragança Fernandes.

Na ação, o JPP pediu também a dissolução da câmara e da assembleia municipal, com a consequente convocação de eleições autárquicas intercalares.

Recomendadas

Juiz rejeita pedido da defesa de Ricardo Salgado para levantar cauções de três milhões de euros

Os advogados do ex-banqueiro exigiam a devolução das cauções prestadas no valor de três mil milhões de euros e, adicionalmente, também pediram que fossem levantados os 10,7 milhões de euros apreendidos nas contas bancárias na Suíça e outros bens.

ERSE. Tribunal condena Goldenergy a pagar multa no valor de 40 mil euros

Tribunal da Relação de Lisboa e o Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão confirmaram a decisão da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) por multar a Goldenergy por não dispor de um sistema de atendimento telefónico eficaz entre 2014 e 2015.
luís_menezes_leitão_bastonário_ordem_advogados

Advogados elogiam pedido de constitucionalidade da lei que obriga denúncias de evasão fiscal

A Provedora de Justiça pediu ao Tribunal Constitucional a 15 de setembro que fiscalize a lei publicada a 21 de julho de 2020 que transpôs uma diretiva europeia, estabelecendo a obrigação de comunicação à AT a de determinados mecanismos internos ou transfronteiriços com relevância fiscal.
Comentários