Tribunal considera ilegal obrigação de isolamento profilático de viajantes do Brasil

O Tribunal de Sintra aceitou um pedido de libertação imediata ‘habeas corpus’ de uma advogada a quem as autoridades de saúde obrigaram a ficar 14 dias em isolamento profilático em casa, quando regressava do Brasil.

Um comunicado da Ordem dos Advogados adianta que a advogada, o seu marido e uma filha menor entraram em Portugal provenientes do Brasil no dia 02 de maio e, apesar de terem testes negativos ao SARS-CoV-2 e de “terem sido autorizados a entrar em território nacional sem qualquer restrição”, a delegada de Saúde da sua área de residência impôs-lhes um isolamento de 14 dias.

A advogada refutou a ordem, através de um pedido de ‘habeas corpus’ a contestar a resolução do Conselho de Ministros 45-C/2021, de 30 de abril, que foi aceite na tarde de sexta-feira pelo Tribunal de Sintra.

O juiz declarou inconstitucional a referida resolução do Conselho de Ministros sobre a situação de calamidade e proibiu de imediato as autoridades de saúde de colocarem a advogada e restantes elementos familiares em isolamento forçado, considerando que isso só seria possível se vigorasse o estado de emergência.

Na decisão, a que agência Lusa teve acesso, o magistrado declara “inconstitucional, material e organicamente”, o artigo 25.º da resolução no sentido de “qualquer cidadão nacional ou estrangeiro” poder “ser privado da liberdade por um período de 14 dias em ordem administrativa e sem controlo judicial”.

Devido à pandemia de covid-19, o Governo substituiu o estado de emergência pela situação de calamidade à generalidade do país, em vigor desde 01 de maio.

Recomendadas

Euro2020: Croatas vice-campeões mundiais contra ingleses que valem mais de mil milhões

Inglaterra é a seleção com maior valor de mercado do campeonato europeu, mas vai ter pela frente o seu ‘carrasco’ do mundial de 2018.

Portugal com 707 novos casos e duas mortes por Covid-19. Internamentos voltam a aumentar

Em linha com o aumento de casos e da incidência no país, também o número de internamentos cresceu. Nas últimas 24 horas, foram admitidas mais 25 pessoas em enfermaria e mais 5 nas unidades de cuidados intensivos.

Secretário regional de Saúde antecipa imunização até “final de julho” nos Açores

Clélio Meneses, que falava como convidado de honra, na noite de sábado, na sessão solene do 19.º aniversário da elevação das Lajes a vila, no concelho da Praia da Vitória, na ilha Terceira, reiterou que “o tempo presente é de esperança”.
Comentários