Tripulantes da Ryanair em Espanha cumprem amanhã mais um dia de greve

Os tripulantes de cabine da Ryanair em Espanha cumprem no domingo o quarto de dez dias de greve convocada pelas estruturas sindicais em protesto contra o encerramento das bases da companhia aérea em Tenerife Sul, Gran Canária, Lanzarote e Girona.

Esta paralisação soma-se à greve que os tripulantes de cabine cumpriram nos dias 1, 2 e 6 de setembro, tendo a Ryanair já anunciado a intenção de não cancelar nenhum voo, cumprindo o cronograma que está planeado.

Nas greves de 1 e 2 de setembro, a Ryanair cancelou seis e oito voos, respetivamente, enquanto no dia 6 de setembro conseguiu realizar todos os voos programados, com uma pontualidade a rondar os 97%, segundo dados da companhia aérea.

Na ocasião, a Ryanair precisou que tal foi possível graças aos “esforços” da grande maioria da tripulação de cabine espanhola que optaram por não se juntar a uma greve marcada “por um pequeno número de trabalhadores”.

Esta paralisação contra o encerramento das quatro bases da companhia em Espanha foi convocada pelos sindicatos Sitcpla e USO.

Além da greve dos tripulantes de cabine, o sindicato de pilotos espanhol Sepla também convocou uma greve de cinco dias, para os dias 19, 20, 22, 27 e 29 de setembro em protesto contra o encerramento das referidas bases que, segundo as suas previsões, podem implicar os despedimentos de mais de 500 trabalhadores da Ryanair, incluindo 150 pilotos.

Além de Espanha, a Ryanair anunciou o fecho de outras bases na Europa, nas quais se inclui a do Aeroporto de Faro, no Algarve, no âmbito de uma estratégia da companhia para redução de custos.

Ler mais
Recomendadas

Epson Europa vê Portugal como “mercado totalmente estratégico”

Raúl Sanahuja, responsável de Relações Públicas e Comunicação da Epson, considera que as empresas portuguesas são mais “ousadas” e “lançadas” na integração de tecnologia de impressão.

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários