Tripulantes da TAP votam acordos a 26 de fevereiro e os da PGA no dia anterior

A votação do Acordo de Emergência estabelecido entre o SNPVAC – Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil e a administração da TAP será feita pelos tripulantes da TAP a 26 de fevereiro, no mesmo dia em que os pilotos da TAP votam o acordo do SPAC, agendando a votação dos tripulantes da PGA – Portugália para o dia anterior, 25 de fevereiro, confirmaram ao JE fontes do sindicato.

Os tripulantes da TAP vão proceder à votação dos acordos estabelecidos entre a administração da TAP e o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) a 26 de fevereiro, coincidindo com a data de votação do acordo dos pilotos afetos ao Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), como o Jornal Económico tinha adiantado, enquanto os tripulantes da PGA – Portugália realizam a respetiva votação um dia antes, a 25 de fevereiro.

O SNPVAC informa que vai “desencadear a votação eletrónica para saber se a vontade maioritária da classe é pela aprovação ou rejeição do Acordo de Emergência negociado pela direção do SNPVAC com a TAP a 7 de fevereiro de 2021 e divulgado nos comunicados da direção”, adiantando que “a solução de voto eletrónico (CERTVOTE) é a MULTICERT”. “A solução CERTVOTE engloba todo o ciclo de votação sendo uma solução completa, segura e idónea utilizada em Instituições de referência”, refere o SNPVAC

A votação decorrerá a 26 de fevereiro de 2021, das 9h00H às 21h00. O universo de associados abrangido corresponde a todos os associados efetivos no ativo e aos associados com contratos a termo cujo contrato de trabalho ainda esteja em vigor no momento em que ocorrer a votação, aos quais seria permitido votar caso a matéria laboral em causa estivesse a ser votada numa Assembleia Geral.

“Apenas os associados referidos receberão um e-mail, na sexta-feira, antes do início da votação (através do e-mail constante na ficha de associado) com um PIN de autenticação para a votação. O PIN de autenticação será enviado pela Multicert”, refere o SNPVAC, explicando que “para aceder à votação o associado terá de utilizar o seu número de identificação fiscal (username) e o PIN de autenticação” e que “juntamente com o PIN de autenticação seguirá o endereço eletrónico para aceder à votação”.

“Os associados que não receberem as credenciais deverão contactar, durante todo o período da votação, o Sindicato pelos contactos 913263165, 218437330 e 218437331 para que lhes seja feito o reenvio de novo PIN de autenticação pela Multicert”, alerta o sindicato, esclarecendo que a votação incidirá na seguinte pergunta: “Aprova o Acordo de Emergência negociado pela Direcção do SNPVAC com a TAP a 07.02.2021 que foi divulgado nos Comunicados da Direção nº 41, de 07.02.2021 e nº 56, de 15.02.2021?” As opções de resposta serão SIM ou NÃO. O voto apenas será submetido quando pressionarem o botão “Submeter Voto” existente no quadro resumo que será visível após escolherem a opção de voto e pressionarem o botão seguinte. Logo que apurado o resultado da votação “a Multicert emitirá um documento certificado e assinado digitalmente com o resultado que será divulgado aos associados”, concluiu o sindicato.

Recomendadas
catarina_martins_oe_2020

Covid-19: Catarina Martins faz um apelo a Costa para que estenda já as moratórias

“Deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já”, num comício maioritariamente virtual que assinalou o encerramento da conferência autárquica online e os 22 anos do BE, que comemora no domingo a sua fundação.

TAP. Ratificação dos acordos com pilotos e tripulantes era “passo crucial”, diz o Governo

“Porque estes acordos representam um compromisso muito firme de todos com o futuro da companhia, dão ainda mais credibilidade ao plano de reestruturação que o Estado português continuará a negociar com a Comissão Europeia ao longo das próximas semanas”, sublinhou o Ministério das Infraestruras e da Habitação.

Serviços postais caem 12,4% mas tráfego de encomendas dispara 20% em 2020

Tráfego total dos serviços postais caiu 12,4% em 2020, uma quebra que “está associada aos efeitos da pandemia da Covid-19” e que foi “mais expressiva” do que o recuo verificado em 2019 (-6,7%). A pandemia terá tido “um impacto direto, negativo, de 9,8% no tráfego postal total”.
Comentários