Troféus Luso-franceses comemoraram 25 anos com aprofundamento de relações entre Portugal e França

Numa altura em que os Troféus atribuídos pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa (CCILF) comemoram um quarto de século, podemos dizer que as relações económicas entre Portugal e França se têm aprofundado nos últimos anos, a um ritmo que não é só explicado pelo facto de “Portugal estar na moda”. As exportações portuguesas para […]

Numa altura em que os Troféus atribuídos pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa (CCILF) comemoram um quarto de século, podemos dizer que as relações económicas entre Portugal e França se têm aprofundado nos últimos anos, a um ritmo que não é só explicado pelo facto de “Portugal estar na moda”. As exportações portuguesas para França aumentaram em cada um dos últimos cinco anos e mesmo quando Portugal atravessou o período de crise financeira e económica que obrigou ao programa de apoio internacional – com a intervenção da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional.

Entre 2013 e 2017, as exportações de Portugal para França aumentaram em mais de um terço (cresceram 34,8%), a um ritmo médio anual de 7,8%, para 11,3 mil milhões de euros. No mesmo período, as importações que Portugal fez de França expandiram-se a um passo médio anual de 8,1%, crescendo marcantes 36,4%, para 6,4 mil milhões de euros. E nesta relação comercial Portugal até é superavitário, com um saldo que até aumentou 32,6%, para 4,8 mil milhões de euros.

Uma relação que se sente no turismo

No caso do turismo, em que já se pode referir o facto de Portugal estar na moda, o crescimento ultrapassa a média já referida para as exportações, com as dormidas de turistas franceses em Portugal a registarem um crescimento médio anual de 11,6%, entre 2013 e 2017. Em 2016, 1,7 milhões de turistas franceses escolheram visitar Portugal, mais 17,4% do que em 2015 e três vezes mais do que em 2010.

As receitas geradas por turistas franceses em Portugal representaram 16,4% do total das realizadas por estrangeiros no ano passado, o que faz com que França seja o primeiro mercado da procura externa de Portugal. E isso também se vê pelo número de estrangeiros que escolhem Portugal como nova morada. No ano passado, França entrou no top ten dos países de onde provêm mais residentes.

O número de franceses que residem legalmente em Portugal aumentou 35,7%, de 2016 para 2017, para 15.319 pessoas, o que faz da França a oitava comunidade estrangeira mais importante do país. Os cidadãos franceses estão, também, no topo da lista de compradores de bens imobiliários. Ou seja, as relações entre os dois países são económicas, mas também culturais, ou não fosse França um dos destinos de referência para os portugueses desde há décadas.

Ler mais
Recomendadas

“Praia, comida e vinho ajudaram”. O que dizem os estrangeiros que montam negócios em Portugal

A próxima edição do “Launch in Lisbon”, organizado pela incubadora Startup Lisboa para ajudar empreendedores e freelancers estrangeiros que pretendam instalar um negócio em Portugal, realiza-se entre os dias 4 e 8 de março. O Jornal Económico falou com Jeferson Valadares e Wendy van Leeuwen, que já se renderam à capital portuguesa.

Desigualdade de género no mercado laboral da América Latina mantém-se

O estudo “Panorama Social de América Latina 2018”, elaborado pela Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas (Cepal), concluiu que, em 2016, a taxa de desemprego urbano era de 10,4% entre mulheres e de 7,6% entre homens nesta região.

Todos os dias cinco portugueses tornam-se britânicos

Entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido obtiveram cidadania britânica, mais do que o total de autorizações dadas nos cinco anos anteriores.
Comentários