Trump anuncia que pico da Covid-19 está próxima e Wall Street anima no fecho da sessão

No fecho da sessão, o S&P 500 sobe 3,28%, para 2,746.63 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 2,58%, para 2,746.63 pontos, e o industrial Dow Jones cresce 3,39%, para 23,422.66 pontos.

Brendan McDermid / Reuters

A Bolsa de Nova Iorque terminou a sessão desta quarta-feira em terreno positivo com os investidores a serem encorajados por sinais de esperança sobre o surto do coronavírus nos Estados Unidos e com os seguros de saúde a receberem um impulso adicional com o anúncio da desistência de Bernie Sanders.

No fecho da sessão, o S&P 500 sobe 3,28%, para 2,746.63 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 2,58%, para 2,746.63 pontos, e o industrial Dow Jones cresce 3,39%, para 23,422.66 pontos.

O presidente Donald Trump disse esta quarta-feira que os americanos podem estar a chegar ao topo da “curva” em relação ao surto da Covid-19, ao mesmo tempo que o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, referiu que os esforços do Estado no distanciamento social para controlar o vírus começam a dar resultados.

“As ações estão a comemorar as boas notícias na frente do coronavírus, que são legítimas, justas e provavelmente devem ser”, afirmou Willie Delwiche, chefe de estratégia de investimentos da Baird.

“Será um processo lento para fazer as coisas voltarem a funcionar, mas agora as ações estão a dar um suspiro de alívio, porque talvez os modelos com projeções de morte de uma semana ou duas semanas atrás, não se confirmem”, acrescentou.

Após o pior desempenho de março do S&P 500 em décadas, o índice de referência recuperou cerca de 22% nas últimas duas semanas, embora o seu principal indicador de volatilidade futura permaneça historicamente alto. Mesmo com os grandes ganhos nas últimas semanas, em parte devido a medidas massivas de estímulo fiscal e monetário, o S&P 500 ainda diminuiu cerca de 19% em relação ao seu recorde em meados de fevereiro.

No setor da saúde o .SPXHC ganhou terreno após a decisão de Bernie Sanders abandonar a sua corrida à Casa Branca.

As atas de duas reuniões de emergência da Reserva Federal norte-american revelaram que as autoridades ficaram cada vez mais preocupadas com a rapidez com que o surto do coronavírus está a prejudicar a economia dos EUA e a atrapalhar os mercados financeiros, levando-os a tomar “ações vigorosas”.

Ler mais

Recomendadas

Credores privados dizem que cobrar juros é essencial para manter ‘ratings’ 

Em causa está a assunção por parte de algumas agências de ‘rating’, como por exemplo a Moody’s, de que se os credores receberem menos do que o inicialmente contratualizado, isso configura um incumprimento financeiro, independentemente das razões e mesmo com o acordo dos credores.

Dados surpreendentes do emprego deram gás a Wall Street

Na última sessão da semana o Dow Jones disparou 3%, mas o recordista foi o tecnológico Nasdaq. O ‘rally’ deveu-se aos ganhos da banca e das companhias aéreas e de cruzeiros, das mais penalizadas durante o confinamento.

CMVM levanta suspensão da negociação das ações da SAD do FC Porto

A decisão surge depois de a SAD anunciar o adiamento do reembolso do empréstimo obrigacionista para 2021.
Comentários