Trump prepara projeto de um bilião de dólares para impulsionar economia

Em ano de eleições, Donald Trump apresenta um plano para impulsionar a economia para melhorar as perspetivas políticas após ser criticado pela sua resposta ao coronavírus e aos protestos do movimento Black Lives Matter.

Donald Trump

A administração Trump está a preparar um estímulo de um bilião de dólares (887 mil milhões de euros) para um plano de infraestruturas, cujo objetivo é desenvolver projetos de transportes, para estimular a economia dos Estados Unidos após a pandemia da Covid-19, revela a ‘Reuters’.

De acordo com uma versão inicial do plano, o Departamento dos Transportes está a reservar a maior parte dos fundos para projetos em estradas e pontes, sendo que um quarto do dinheiro está reservado para o investimento na infraestrutura 5G e em banda larga nas zonas rurais.

As notícias que davam conta de um novo possível estímulo levaram a um aumento do mercado das ações dos Estados Unidos. Este estímulo deverá ser apresentado pela Casa Branca no próximo mês.

Donald Trump está a planear ser reeleito em novembro mas antes pretende impulsionar a economia para melhorar as perspetivas políticas após ser criticado pela sua resposta ao coronavírus e aos protestos do movimento Black Lives Matter.

A administração liderada por Donald Trump autorizou, há cinco anos, 305 mil milhões de dólares (270 mil milhões de euros) para melhorar auto-estradas e transportes de superfície. Esta medida, que expira a 30 de setembro, deve estender-se durante os próximos cinco anos caso Trump seja reeleito nas próximas presidenciais.

Esta quarta-feira, 19 de junho, os democratas do Comité de Transporte e Infraestrutura da Câmara dos Deputados vão debater a lei dos transportes que iria fornecer 319 mil milhões de dólares (283 mil milhões de euros) para concertar 47 mil pontes mal estruturadas, 105 mil milhões de dólares (93 mil milhões de euros) para transportes de massas e 30 mil milhões de dólares (26 mil milhões de euros) em infraestrutura ferroviária.

Recomendadas

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 

Brexit. Boris Johnson “não hesitará” em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

UE e Reino Unido estão em conflito aberto porque este último tomou medidas unilaterais para mitigar o impacto da introdução de controlos aduaneiros na circulação de algumas mercadorias, como produtos alimentares frescos, o que levou a Comissão Europeia a levantar um processo de infração em março. 

G7. Líderes acordaram lançar plano de infraestruturas para combater projeto da China

A proposta dos EUA visa mobilizar capital do sector privado para promover projetos em quatro áreas: clima, segurança sanitária, tecnologia digital e igualdade de género, além de contar com investimentos de instituições financeiras.
Comentários