TST vai parar no dia 6 de fevereiro. Trabalhadores lutam por aumentos salariais

Os trabalhadores dos Transportes Sul do Tejo (TST) vão paralisar os serviços na quinta-feira, 6 de fevereiro, para realizarem um plenário, com o objetivo de atingir aumentos salariais. Esta paralisação pode causar perturbações no serviço destes transportes. A União dos Sindicatos de Setúbal convocou a paralisação para todo o dia e o plenário para as […]

Foto cedida

Os trabalhadores dos Transportes Sul do Tejo (TST) vão paralisar os serviços na quinta-feira, 6 de fevereiro, para realizarem um plenário, com o objetivo de atingir aumentos salariais. Esta paralisação pode causar perturbações no serviço destes transportes.

A União dos Sindicatos de Setúbal convocou a paralisação para todo o dia e o plenário para as 10 horas, sendo que o encontro dos trabalhadores vai ocorrer nas instalações da empresa no Laranjeiro, em Almada. Em comunicado enviado à redações, o sindicato adianta que os motoristas decidiram realizar a paralisação, uma vez que a administração da empresa “não deu resposta à valorização dos salários, fugindo ao compromisso que havia dados aos trabalhadores”.

“Chamamos a atenção da administração dos TST que, caso não queira a empresa parada ou paralisada, basta cumprir com o discurso público que efetuou quando disse: ‘é necessário elevar os salários dos trabalhadores da TST ao nível daquilo que é praticado na Carris'”, lê-se na nota do sindicato.

De relembrar que no ano passado, os trabalhadores da TST realizaram várias greves e plenários contra o facto dos seus ordenados serem os mais baixos do setor da Área Metropolitana de Lisboa, para o qual reivindicavam um salário base de 750 euros. Em junho passado, os funcionários aceitaram a proposta de 700 euros.

A TST é detida pelo grupo Arriva e desenvolve a sua atividade entre a península de Setúbal, tendo 190 carreiras.

  • Notícia corrigida às 13h00 para dar conta que o plenário de trabalhadores vai ter lugar no dia 6 de fevereiro
Recomendadas

Coronavírus: Ligações da Easyjet a partir de Portugal para Itália não serão afetadas por enquanto

A easyJet diz que, por enquanto, os voos da companhia entre Portugal e Itália não estão afetadas e que está a acompanhar o evoluir da situação no norte de Itália, onde o Covid-19 já matou 14 pessoas e infetou pelo menos 400.

PremiumAntonoaldo Neves diz que obras na Portela podem causar acidentes

Antonoaldo Neves defende solução alternativa proposta pela consultora PASSUR. Confrontada pelo JE, concessionária aeroportuária rejeita críticas da TAP e diz que restantes companhias “não se queixam”.

PremiumNovo Banco anuncia hoje prejuízo de cerca de mil milhões de euros em 2019

O Novo Banco apresenta hoje as contas que justificam a chamada de 1.037 milhões ao Fundo de Resolução. O banco teve prejuízos de cerca de mil milhões, mas o lucro recorrente é de 170 milhões.
Comentários