Turquia assegura que “não vai desistir” de encontrar verdade sobre Khashoggi

O ministro dos Assuntos Exteriores referiu que a Turquia ainda “não recebeu qualquer informação ou dados novos” sobre a investigação da morte do jornalista do lado saudita.

A Turquia afirmou que o país não vai desistir de procurar a verdade sobre a morte de Jamal Khashoggi, jornalista saudita assassinado na embaixada da Arábia Saudita, em outubro, disse o chefe da diplomacia turca.

“Ainda não recebemos qualquer informação ou dado novo sobre a investigação [da morte] do lado saudita” e, por isso, “a Turquia não vai desistir deste assunto”, declarou o ministro dos Assuntos Exteriores daquele país, Mevlut Cavusoglu em conferência de imprensa no Qatar.

E vincou: “Iremos até ao fim [para encontrar a verdade]”.

Jamal Khashoggi, jornalista crítico do Governo da Arábia Saudita, foi morto em 02 de outubro passado por agentes sauditas no consulado do seu país em Istambul.

Inicialmente, o Governo da Turquia tinha dito que não queria um inquérito internacional, preferindo a cooperação direta com as autoridades sauditas.

Porém, na terça-feira, Mevlut Cavusoglu afirmou que a Turquia estava em negociações com as Nações Unidas para uma possível investigação internacional sobre o assassinato, o que provocou indignação em todo o mundo.

Ancara tem criticado repetidamente a falta de cooperação saudita, que diz que o assassínio foi cometido sem o seu consentimento.

As autoridades sauditas rejeitaram um pedido de extradição de um grupo de suspeitos, feito pela Turquia, que incluía dois funcionários próximos do príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, acusado por Ancara de ter participado no plano do assassínio.

Os dois suspeitos, Ahmed al-Assiri e Saud al-Qahtani, foram demitidos das suas funções em 20 de outubro, enquanto uma tempestade diplomática atingia a Arábia Saudita, após a morte do jornalista, que vivia nos EUA e trabalhava para o jornal Washington Post.

Ler mais
Recomendadas

Presidente da Boeing: ”Estamos a tomar as medidas necessárias para garantir a total segurança do 737 MAX”

“A Boeing está a finalizar o desenvolvimento de uma atualização de ‘software’ e a revisão do manual de treino dos pilotos para corrigir os erros dos sensores MCAS”, disse o presidente da companhia Dennis Muilenburg em comunicado.

Bolsonaro apoia Trump: “Nós vemos com bons olhos a construção do muro”

Posição foi assumida pelo chefe de Estado brasileiro numa entrevista emitida hoje pelo canal de televisão norte-americana Fox News, no âmbito da visita que Jair Bolsonaro está a realizar, desde domingo, aos Estados Unidos.

Sempre colado ao telemóvel? Esta aplicação impede os ‘zombies’ dos smartphones de serem atropelados

Em 2017, na Coreia do Sul, mais de 1.600 mil pedestres foram mortos em acidentes na estrada, o que representa cerca de 40% do total de mortes no trânsito, segundo dados do Traffic Accident Analysis System. Esta aplicação ajuda os pedestres a estarem mais atentos aos carros.
Comentários