Tweets de Trump sobre imposição de tarifas ao Brasil e Argentina penalizam Wall Street

Donald Trump revelou que vai impor tarifas ao aço e alumínio importados do Brasil e da Argentina como retaliação à desvalorização das respectivas moedas que, segundo o presidente dos EUA, prejudica os agricultores norte-americanos.

Reuters

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a sessão com desempenho misto depois de uma semana a ‘meio gás’ devido à época de compras no final de novembro nos Estados Unidos. Na quinta-feira, dia de Ação de Graças, os mercados estiveram fechados, e na sexta-feira fecharam mais cedo do que o habitual.

Esta segunda-feira, o mercado reage a uma série de tweets de Donald Trump, o que terá pesado no início da sessão, que se revelou algo tímido. Minutos após a abertura dos mercados, em Wall Street, só o industrial Dow Jones estava no ‘verde’, com um ligeiro ganho de 0,08%, para 28.073,27 pontos. O S&P 500 mantinha-se praticamente inalterado, com uma ligeira queda de 0,01%, para 3.140,78 pontos; e o tecnológico Nasdaq cedia 0,15%, para 8.652,90 pontos.

Donald Trump revelou que vai impor tarifas ao aço e alumínio importados do Brasil e da Argentina como retaliação à devalorização das respectivas moedas que, segundo o presidente dos EUA, prejudica os agricultores norte-americanos.

“O Brasil e a Argentina têm levado a cabo uma enorme depreciação da moeda, o que não é bom para os nossos agricultores. Por isso, com efeitos imediatos, eu vou reestabelecer as tarifas ao aço e ao alumínio desses países que é enviado para os EUA”, lê-se no tweet do presidente norte-americano.

Donald Trump acusou centrou-se depois na Reserva Federa norte-americana, defendendo que a instituição presidida por Jerome Powell deveria agir de forma a evitar que “os países deixem de beneficiar do nosso dólar forte ao desvalorizarem as respectivas moedas”.

Noutro tweet, Donald Trump disse que os mercados norte-americanos subiram 21% desde 1 de março de 2018, dia em que os Estados Unidos anunciaram a imposição de tarifas.

A nível económico, o destaque do dia vai para o setor da manufatura chinês. O índice PMI divulgado esta segunda-feira demonstra que a manufatura subiu ligeiramente em novembro, para 51,8 pontos.

Noutros mercados, o preço do petróleo está a subir. Em Londres, o barril de Brent está a negociar nos 61,55 dólares, depois de subir 1,75%. Nos EUA, o West Texas Intermediate avança 2,07%, para 56,31 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Wall Street faz limonada sem limões

O preço do light crude tem nos próximos dias uma prova importante, pois caso não consiga reconquistar a linha inferir do canal (laranja), entra numa zona bearish que abrirá espaço para mais perdas no valor do activo.

Tensões comerciais penalizam Wall Street

O sentimento do mercado foi penalizado pelo desconforto criado pelos Estados Unidos que aprovaram legislação em benefício dos residentes de Hong Kong, aumentando as tensões com a China.

Black Friday não impulsiona abertura de Wall Street

O frenesim do consumo já começou nos Estados Unidos, no dia de Ação de Graças. Os norte-americanos gastaram valores recorde, quatro mil milhões de dólares no total. E, segundo os dados da Adobe, as vendas online subiram 19% face ao ano passado.
Recomendadas

BAD estreia-se na bolsa de Londres com emissão de três mil milhões de dólares

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) entrou esta semana para o índice do Mercado Sustentável de Títulos, ao colocar na bolsa de Londres a emissão de 03 mil milhões de dólares, considerada um “marco histórico”.

Mercados: A sala (de pânico) passou a ser em casa

A Covid-19 trouxe um duplo desafio aos gestores de salas de mercados e corretagem: o teletrabalho em simultâneo com a volatilidade em níveis máximos. Oito gestores explicam ao JE como operaram uma transição que dizem ter sido suave. Sentem falta do ‘buzz’ da sala, mas realçam que não falta trabalho. Presas em casa, muitas pessoas entram nos mercados à procura de oportunidades em tempos conturbados.

Touros e Ursos lutam pelo sentimento de Wall Street

É por estas incertezas que o desempenho de Wall Street em Abril é, por ora, uma incógnita. Irá recuperar ou continuar a corrigir?
Comentários