Uber Eats diz que limite às comissões de entrega “prejudicam todos os que utilizam a aplicação”

Fonte oficial da empresa diz que as medidas impostas pelo Governo português “tornam o serviço menos acessível para os consumidores, o que limitará a procura dos restaurantes e consequentemente as oportunidades dos milhares de pessoas que fazem entregas” na ‘app’.

A Uber Eats considera que os limites as comissões das plataformas de entrega em 20% e o travão ao aumento dos valores e taxas, no âmbito das regras do novo estado de emergência que prevê o confinamento geral, são prejudiciais tanto para os consumidores como os empresários do comércio e restauração.

A tecnológica informou esta quinta-feira que está “a analisar” as alterações que serão necessárias na aplicação e garante que está à procura de “minimizar o impacto negativo que esta alteração terá para todos neste novo confinamento”.

Para a Uber Eats, o foco é aumentar o volume de negócios dos restaurantes e apoiar a sua adaptação à entrega ao domicílio. “Apoiar o sector da restauração nesta pandemia tem sido uma das nossas prioridades no último ano. Desde março de 2020 que investimos financeiramente num plano para ajudar os mais de 6 mil restaurantes e comerciantes – e aos milhares de pessoas que dependem deles para trabalhar -, continuando a garantir um serviço de entrega aos consumidores”, começa por explicar fonte oficial da empresa.

No entanto, as regras impostas pelo Governo, que entram em vigor à meia noite, impõe limites às taxas cobradas por serviços de entregas de refeições, o que abrange apps como a Uber Eats, a Glovo ou a Bolt Food. As comissões cobradas aos restaurantes não podem exceder 20% do valor da refeição. Além disso, as taxas de entrega não podem subir, tal como havia proposto o Presidente da República no decreto de renovação do estado de emergência.

“As limitações impostas ao nosso modelo de negócio, incluindo à nossa taxa de serviço, vão forçar-nos a alterar a forma como operamos, prejudicando todos os que utilizam a nossa aplicação e que queremos apoiar. Estas medidas tornam o serviço menos acessível para os consumidores, o que limitará a procura dos restaurantes e consequentemente as oportunidades dos milhares de pessoas que fazem entregas com a nossa aplicação”, diz a Uber Eats, numa nota enviada à imprensa.

Relacionadas

Novo confinamento geral. Lay-off simplificado automático para empresas obrigadas a encerrar

O comércio vai ter de encerrar portas, salvo os supermercados e mercearias ou farmácias. Bares, cafés e restaurantes também encerram ao público, sendo permitido somente o take-away ou entrega ao domicílio.

António Costa: “Não vale a pena ter ilusões. Dever de recolhimento tem impacto fortíssimo na economia”

“As medidas têm de ser adotadas e quanto mais fortes forem mais rapidamente produzem efeito”, disse o primeiro-ministro esta quarta-feira, aquando do anúncio das medidas do novo confinamento geral.
Recomendadas

Propostas dos operadores superam os 194 milhões de euros no quinto dia da licitação principal do leilão do 5G

Em leilão estão faixas dos dos 700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz. No conjunto dos mais de 50 lotes em concurso, o preço base total é de 195,9 milhões. Esta quarta-feira, sete lotes viram o seu preço base aumentar.

Sindicatos da TAP foram avisados de que BE ia propor auditoria à gestão de Neeleman

A auditoria proposta pelo Bloco de Esquerda não será viabilizada no Parlamento. O projeto de resolução entregue pelo BE a recomendar ao Governo uma auditoria à gestão privada da TAP, não chegará a qualquer conclusão no sentido de saber quais são as efetivas responsabilidades do empresário David Neeleman na gestão da TAP e na situação financeira em que a companhia aérea se encontra.

AHRESP defende revogação da medida que proíbe venda de bebidas em ‘take-away’

A associação refere que a medida “apenas vai prejudicar a já difícil situação dos estabelecimentos”. A AHRESP acrescenta que “o que se quer prevenir é o consumo de produtos à porta do estabelecimento ou nas suas imediações, e não a venda”.
Comentários