Um género de publicidade

Mais do que géneros, acredito em diversidade: de opiniões, culturas, experiências, valências. E como é na publicidade? O que ganharia o setor em ter mais mulheres em cargos dirigentes?

Primeiro aviso: a publicidade não usa calças, não veste saias, não tem sexo. Segundo aviso: a publicidade é, sim, habitada por talentos, independentemente do género. Feitos os necessários avisos à navegação, até podia ficar por aqui e nada mais acrescentar a esta lógica cheia de lógica e indiscutível.

Mas não, até porque ainda tenho mais algumas coisas a dizer sobre a publicidade no feminino. Ou melhor, sobre os géneros e a publicidade. E talvez até arrisque e vá mais longe, falando, no seu todo, sobre o não reconhecimento dos talentos nas profissões. Porque as injustiças, admitamos, calham a todos. Homens e mulheres, velhos ou novos, qualquer que seja o setor.

É verdade que ainda vivemos numa sociedade predominantemente masculinizada, carregamos nos ombros uma herança de séculos a fio em que a figura suprema do páter-famílias sempre foi exclusiva do homem, sem cerimónias ofuscando a mulher no seu papel social. Mas o mundo pulou e avançou, muitos passos foram entretanto dados para alterar o injusto statu quo e algumas correções de trajetória aconteceram com o avançar dos anos em relação aos ativos humanos do mundo laboral e ao respetivo equilíbrio entre os géneros.

Então o que falta para deixarmos de falar em quotas para mulheres nas empresas, na política e onde quer que seja onde os homens, ao que parece, se mantêm em maioria? A resposta não é simples e muito menos consensual, mas sinto-me tentada a discorrer sobre a questão, mesmo que me colem o rótulo de feminista, que, aliás, não sou. Prefiro que me chamem humanista. E justa. E acima de tudo atenta a quem merece reconhecimento.

Dito isto, em primeiro lugar há que reconhecer o mérito como condição única e determinante para a manutenção de qualquer posto de trabalho. Se uma mulher não é competente para a missão que lhe foi atribuída, então que se tomem medidas, da mesma maneira que, uma vez diagnosticada a incompetência de um homem, devem ser tomadas as devidas previdências.

É aqui que se devem envidar esforços, é neste conceito, o da meritocracia, que temos de nos apoiar e seguir em frente para evitarmos discussões estéreis. Mais do que géneros, acredito em diversidade – de opiniões, culturas, experiências, valências. E há características que são mais femininas do que masculinas e vice-versa e considero que teríamos todos a ganhar se houvesse mais valências femininas, e não sou eu que digo, é o mundo que está a pedir.

E na publicidade, Susana? Como é na publicidade? O que ganharia o setor em ter mais mulheres em cargos dirigentes? De certeza que, por esta altura, são estas as perguntas que se impõem depois de tanta retórica. Poderia recorrer aos chavões habituais e garantir que nós, as mulheres, somos mais sensíveis, atentas e dedicadas, ou mais empenhadas, determinadas e lutadoras em consequência da discriminação de que somos alvo…

Mas não, quero antes de tudo o mais afirmar, sem cerimónias, que o género, meus caros, é cada vez menos um estatuto inquestionável. Palavra de mulher. Que usa saias, mas também veste calças.

Recomendadas

Sonae diz-se preocupada com o ‘Luanda Leaks’

O grupo cruza interesses com Isabel dos Santos na NOS e por pouco não aumentou a exposição às parcerias com a empresária angolana através da ida dos hipermercados para aquele país africano.

Grupo Vila Galé confirma desistência do projeto de Una na Bahia

“Nunca houve ali indígenas, nunca ali houve uma reserva indígena, não há, nem vai haver, como vão ver daqui a pouco tempo, quando surgir a decisão final”, garantiu Jorge Rebelo de Almeida reagindo às notícias de que o projeto iria inviabilizar uma reserva de indígenas brasileiros.

Vila Galé vai investir 45 milhões e abrir mais três hotéis em 2020

Com a abertura destas três unidades hoteleiras e a ampliação do Vila Galé Douro Vineyards, o grupo irá aumentar a sua oferta em 318 quartos – atualmente gere mais de 7.500 quartos – elevando de 34 para para 37 hotéis em Portugal (27) e no Brasil (dez).
Comentários