Under Armour paga nove milhões e chega a acordo com regulador norte-americano

O acordo alcançado com o SEC “resolve todas as reivindicações pendentes” e não haverá “intenção de recomendar a adoção de qualquer ação contra o presidente executivo, CFO ou qualquer outro membro da administração em relação a esta investigação”.

A Under Armour vê o seu escândalo financeiro chegar ao fim. A empresa norte-americana de moda e equipamentos desportivos chegou a um acordo com o regulador do mercado de ações norte-americano (SEC – sigla em inglês) para resolver a investigação sobre as práticas ilegais do grupo, que em 2019 foi acusado de inflacionar os resultados entre o terceiro trimestre de 2016 e 31 de dezembro do mesmo ano.

O grupo vai pagar uma multa no valor de nove milhões de dólares (7,4 milhões de euros), “além de outros termos não monetários”, conforme explica a empresa em comunicado. A Under Armour, que no mesmo dia em que começou a investigação caiu até 19% na bolsa, “não admitiu nem negou as acusações da SEC”.

O acordo alcançado com o órgão regulador “resolve todas as reivindicações pendentes, e a equipa do SEC confirmou que não tem intenção de recomendar a adoção de qualquer ação contra o presidente executivo, CFO ou qualquer outro membro da administração em relação a esta investigação”, o grupo concluiu.

No ano passado, o SEC enviou notificações à Well – cartas anunciando que pretendia entrar com uma ação legal – a Kevin Plank, fundador e CEO da empresa, e David Bergman, diretor financeiro, conforme recorda o portal “Palco 23”.

A Under Armour envolveu-se no escândalo quando o SEC abriu uma investigação contra o grupo, argumentando que teria adiantado parte das vendas na sua contabilidade para cumprir as metas de receitas. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) também esteve envolvido na investigação, embora o grupo não tenha recebido mais nenhum pedido de informações desde o segundo trimestre de 2020.

Após o escândalo, Kevin Plank deixou o cargo de presidente executivo para promovê-lo a CEO e diretor de marca. Além disso, a Under Armour nomeou Aditya Maheshwari como o novo responsável pela contabilidade, no início do ano passado, com o objetivo de trabalhar em estreita colaboração com os dois órgãos dos EUA para fornecer informações relevantes sobre as contas do grupo.

A Under Armour encerrou o ano fiscal de 2020 com uma queda de 15% na receita, para 4,4 mil milhões de dólares (3,6 mil milhões de euros), em comparação com os 5,2 mil milhões de dólares (4,3 mil milhões de euros) registados no ano anterior. A empresa reduziu as suas vendas em todos os canais, exceto no comércio eletrónico e categorias.

Ler mais
Recomendadas

Miguel Farinha: “Liga portuguesa? Impacto da pandemia foi inevitável mas só a Champions levou 60 milhões de euros”

Em entrevista ao programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Farinha, partner e líder de Strategy and Transactions da EY falou dos principais fatores que levaram a uma quebra de receitas na época passada.

Justiça espanhola rejeita ação de 23,8 milhões de euros do Real Madrid contra La Liga

A sentença extingue totalmente a ação do Real Madrid, absolvendo a La Liga de todas as reclamações formuladas, ao mesmo tempo em que impõe o pagamento dos custos processuais à equipe da madrilena, em resolução que, por não ser definitiva, pode ser objeto de recurso.

FIFA anuncia criação de mundial de clubes feminino

“O meu sonho também é ver o nascimento do primeiro mundial de clubes femininos”, disse Infantino num comunicado enviado ao “L’Équipe”. Um torneio que “vai chegar muito em breve e vai realmente revolucionar o futebol feminino”, acrescentou.
Comentários