‘Under’: já se imaginou a jantar a cinco metros de profundidade?

O restaurante, com capacidade para 80 a 100 convidados, destaca-se pela paleta de cores que segue a lógica do ambiente marítimo. Se estiver interessado em jantar debaixo do mar, o preço por cada reserva é de 100 euros.

A inauguração do primeiro restaurante submarino europeu está agendado para a primavera de 2019, na região de Lindesnes, na Noruega e já tem lotação esgotada para o dia de inauguração.

O restaurante, que para além de ser o primeiro submerso na Europa, será o maior do mundo e terá uma janela panorâmica de 10 metros com uma vista para o oceano.

A estrutura ambiciosa foi construída ao nível do solo no topo de uma barcaça durante meio ano e foi projetada para resistir a condições climáticas extremas. Mais tarde, foi puxado para o fundo do mar, a cinco metros de profundidade. Fonte próximas comparam-no a um bunker moderno subterrâneo. Hoje, o restaurante tem o nome de ”Under” (de baixo, em português).

Sobre a arquitetura do edifício, o arquiteto Rune Grasdal disse que “o primeiro desafio é a pressão da água, pois está a 4,8 metros abaixo da superfície, mas o maior problema são as ondas”. A estrutura é construída com paredes de um metro de espessura para suportar a pressão e o impacto das condições agitadas do mar.

Aos clientes, o chef do restaurante Nicolai Ellitsgaard Pedersen promete produtos frescos oriundos de agricultores, pescadores, caçadores e colheitas locais e a confecção dos melhores pratos.

O edifício, com capacidade para 80 a 100 convidados, destaca-se pela paleta de cores que segue a lógica do ambiente marítimo. Se estiver interessado em jantar debaixo do mar, o preço por cada reserva é de 100 euros.

Ler mais
Recomendadas

Donos da Herdade das Servas investem nos vinhos verdes

Irmãos Serrano Mira adquirem solar erguido em 1540 pelo poeta e humanista Francisco Sá de Miranda.

Vieira de Castro aposta em embalagens 100% recicláveis

A Vieira de Castro é o maior produtor nacional de bolachas, amêndoas e rebuçados, exportando mais de 50% da produção.

Startup portuguesa vai à Holanda tentar conquistar prémio pelo apoio a refugiados

A startup vai à cidade britânica de Oxford participar num programa de aceleração e, de seguida, segue para a final internacional do concurso da Chivas Regal, em Amesterdão.
Comentários