United Airlines vai ligar Nova Iorque a Ponta Delgada

A companhia área norte-americana anunciou que vai passar a ligar diariamente a cidade de Nova Iorque a Ponta Delgada, nos Açores, a partir de 13 de maio.

A companhia área norte-americana United Airlines anunciou esta quinta-feira que vai passar a ligar diariamente a cidade de Nova Iorque a Ponta Delgada, nos Açores, a partir de 13 de maio e até final de setembro de 2022.

Num comunicado sobre a operação do próximo verão, a United Airlines destaca que vai ser a “única transportadora aérea a ligar os Açores à área metropolitana de Nova Iorque”, através de um voo diário entre o aeroporto de Newark e o aeroporto João Paulo II, em São Miguel.

“A transportadora vai oferecer o maior número de voos entre os Estados Unidos e Portugal em comparação com qualquer companhia aérea norte-americana”, assinala a empresa.

A United Airlines revela que a operação, que vai começar a 13 de maio e terminar no fim de setembro, vai ser assegurada por Boeing 737 Max 8 “novo em folha”.

Além da rota para os Açores, a companhia vai continuar a fazer a ligação de Nova Iorque para o Porto, a partir de março, e para Lisboa, a partir “do próximo verão”.

Com cerca de 90 mil funcionários e 4.500 voos por dia, a United Airlines é uma das maiores companhias áreas dos Estados Unidos.

Recomendadas

Nova ponte sobre o Douro. Veja aqui os três projetos que passaram à próxima fase

Os candidatos vão entregar as suas propostas em novembro, com o vencedor a ser conhecido em dezembro. Três finalistas apresentaram projetos abaixo dos 70 milhões de euros.

Pressionadas pelo aumento da procura e falta de carros, plataformas TVDE procedem a ajustes (com áudio)

O desconfinamento da economia, e o facto de haver menos carros disponíveis, está a pressionar os preços que funcionam consoante a oferta e a procura. Empresas dizem que já estão a tomar medidas para aliviar pressão tarifária.

Ryanair acusa TAP de “açambarcar” slots no aeroporto da Portela e diz que companhia é um “zombie ineficiente”

A Ryanair nota que o bloqueio dos ‘slots’ é uma medida anticompetitiva da parte da TAP, que impediu a companhia aérea de obter espaços suficientes para continuar um crescimento sustentável. “O plano da TAP em cortar a sua frota em 20% significa que simplesmente não pode usar todas as ‘slots’ que possui”, refere a empresa.
Comentários