Universidade do Porto abre candidaturas para Escola de Startups

Os empreendedores graduados que tenham ideias de negócios ligadas às artes, ciências ou tecnologias e que queiram criar um negócio podem inscrever-se até 23 de setembro.

UPTEC Escola Startups

As candidaturas para a 10.ª edição da Escola de Startups do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto já estão abertas. O programa de aceleração de ideias de negócio tem a duração de três meses e aborda temas como o modelo de negócio, mercado e estratégia, propriedade intelectual, finanças, financiamento e apresentação do pitch.

As equipas que frequentarem a escola têm a oportunidade de assistir a workshops fundamentais para a criação de um negócio, agendar reuniões com parceiros estratégicos e empreendedores seniores, receber acompanhamento individual dos mentores do UPTEC e ainda de apresentar o projeto num evento público.

Os projetos selecionados que estejam a desenvolver tecnologias na área das telecomunicações vão ter o apoio do Vodafone Power Lab, através da entrada gratuita na Escola de Startups (isenção do pagamento da inscrição) e acesso ao espaço de incubação da Operadora no UPTEC. Este programa de incentivo à inovação e empreendedorismo da Vodafone Portugal apoia a incubação, oferece mentoring e formação, entre outras condições que contribuem para o desenvolvimento de novas empresas.

Em comunicado, a UPTEC refere que nas primeiras nove edições da iniciativa, a Escola de Startups recebeu para cima de 400 participantes, acelerou quase 200 projetos empresariais e deu origem à criação de cerca de 60 startups.

A Escola de Startups do UPTEC tem um custo por projeto de 250 euros, acrescido de IVA.

Recomendadas

Empreendedora portuguesa vence prémio europeu de inovação

Sara Guimarães Gonçalves, cofundadora da startup Trigger.Systems, foi premiada pelo Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia por uma mulher notável no ecossistema de empreendedorismo.

CBRE quer conhecer mais empreendedores de imobiliário

A consultora quer trazer novas tecnologias às casas e edifícios. “Ainda não vimos grandes soluções para coliving”, admite Francisco Horta e Costa, diretor-geral da CBRE Portugal, ao Jornal Económico. Na edição de 2018 foram as portuguesas Alfredo, Spott e Infraspeak que se destacaram.

Portugal é o país da União Europeia com menos startups fundadas por mulheres 

Só 5% das startups nacionais foram fundadas por empreendedoras, de acordo um estudo da Comissão Europeia. Segundo a análise da Innoenergy, há poucas diferenças entre líderes. Sara Gonçalves é CEO e só sente diferenças de tratamento do outro lado do Atlântico.
Comentários