Ursula von der Leyen espera ter certificado de vacinação operacional em julho

A presidente da Comissão Europeia frisou o quão importante é trabalhar no sentido de “permitir viagens dentro da União Europa”, anunciado que o trabalho jurídico e técnico em relação ao certificado de vacinação “está a avançar” e que o “o sistema pode tornar-se operacional e julho”,

Twitter António Costa

Desde o arranque do processo de vacinação na União Europeia, em dezembro de 2020, já foram contabilizados 160 milhões de europeus que já receberam a primeira dose, mais de 25% da população europeia. “São boas noticias e vamos continuar a trabalhar neste sentido”, disse Ursula von der Leyen, este sábado, durante uma conferência de imprensa que se seguiu após a Cimeira Social que decorreu no Porto.

Embora a responsável reconheça a importância em imunizar a população, não deixou de frisar o quão importante é trabalhar no sentido de “permitir viagens dentro da União Europa”. Sobre o certificado de vacinação, a líder do executivo comunitário adiantou que o trabalho jurídico e técnico em relação ao certificado “está a avançar” e que o “o sistema pode tornar-se operacional e julho”, mantendo-se otimista quando a um acordo político que pode ser alcançado “ainda este mês”.

Este certificado é um documento individual que servirá de “prova clara de que [as pessoas] foram vacinadas”, tiveram um teste negativo ou têm anticorpos naturais após infeção pelo coronavírus. A

Este sábado, Ursula von der Leyen anunciou que a União Europeia assegurou, até 2023, 1,8 mil milhões de doses com a Pfizer/BioNTech, uma quantia que será relevante para garantir a proteção dos cidadãos europeus uma vez que ainda se debate a duração da imunidade das vacinas, a vacinação na faixa etária mais nova e, por fim, a circulação das variantes.

“Estes três temas são importantes. Temos que estar preparados. Estamos a avaliar outros contractos, baseados em outras tecnologias, para assegurar um leque variado de vacinas para estarmos preparados para o inesperados”, admitiu.

Quanto ao debate sobre o levantamento das pantentes, Ursula von der Leyen, diz ser importante manter-se o tópico “em aberto”, sendo que tem que ser analisado como são emitidas as licenças e que impactos poderão trazer.

Segundo números citados pela presidente da Comissão Europeia, Bruxelas já distribuiu mais de 200 milhões de doses de vacinas anti-Covid e deverá ter entregue doses suficientes para vacinar 70% da população adulta da UE até julho.

Relacionadas

Conselho Europeu: Costa celebra “sucesso político” da cimeira com a Índia

Charles Michel anunciou um primeiro passo acordado por europeus e indianos: o lançamento de negociações comerciais, que estavam paralisadas desde 2013.
Recomendadas

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 

Brexit. Boris Johnson “não hesitará” em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

UE e Reino Unido estão em conflito aberto porque este último tomou medidas unilaterais para mitigar o impacto da introdução de controlos aduaneiros na circulação de algumas mercadorias, como produtos alimentares frescos, o que levou a Comissão Europeia a levantar um processo de infração em março. 

Líderes do G7 acordaram lançar plano de infraestruturas para combater projeto da China

A proposta dos EUA visa mobilizar capital do sector privado para promover projetos em quatro áreas: clima, segurança sanitária, tecnologia digital e igualdade de género, além de contar com investimentos de instituições financeiras.
Comentários