Vacinação dos 12 aos 15 anos. Governo diz que Direção-Geral de Saúde tomará decisão a breve prazo (com áudio)

Lacerda Sales salienta a necessidade de haver uma “consolidação dos dados científicos e uma maior robustez científica”, para que sejam tomadas as “decisões certas no tempo adequado”.

Lusa

A Direção-Geral de Saúde (DGS) irá decidir em breve se Portugal avança ou não para a vacinação na faixa etária entre os 12 e 15 anos. A garantia foi dada por António Lacerda Sales, esta segunda-feira, 9 de agosto, durante uma visita do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, a Gouveia.

“Estou convencido, de que a muito breve prazo, a Direção-Geral de Saúde tomará a sua decisão. Hoje não há decisão, mas amanhã pode haver”, referiu Lacerda Sales, salientando que é “necessário haver consolidação dos dados científicos e uma maior robustez científica”, para que sejam tomadas as “decisões certas no tempo adequado”.

O governante voltou a alertar para a necessidade da realização de mais testes, após os últimos surtos de Covid-19 registados vários lares do país. A testagem é uma arma enorme que temos para normalizar o mais depressa possível as nossas vidas e uma recuperação económica. Vamos continuar a testar, não só em lares, mas em muitos segmentos da atividade económica e não só como temos feito”, referiu.

Outro desses segmentos é o da educação para que o regresso às aulas seja feito com normalidade. “Queremos também testar professores na escola para que se dê início ao ano letivo da forma mais normal e segura possível”, realçou.

Lacerda Sales voltou também a manifestar a confiança de que Portugal vai cumprir as metas para no final de setembro, onde conta ter 85% da população vacinada.

Recomendadas

Farmácias fazem “tudo o que é humanamente possível” face à procura de testes

Segundo disse Ema Paulino à Lusa, na terça-feira as farmácias portuguesas realizaram 47.500 testes de antigénio, quando na sexta-feira anterior foram feitos cerca de 30.500 despistes do coronavírus.

Já foram multados 152 passageiros e 10 companhias nas fronteiras aéreas por falta de teste

Os dados do MAI avançam também que pelo menos 10 companhias aéreas foram multadas por terem transportado passageiros sem teste negativo à covid-19 ou certificado de recuperação, condições obrigatórias desde quarta-feira para entrar em Portugal continental através das fronteiras aéreas.

Câmara de Lisboa diz que ministra da Saúde tem de “pôr ordem” na vacinação

“A ministra tem de pôr a casa em ordem, tem de pôr os serviços de saúde em ordem e a funcionarem bem, coisa que não está a acontecer”, disse Ângelo Pereira, à margem de uma iniciativa a propósito do Dia Internacional de Pessoa com Deficiência.
Comentários