Vai comprar um carro a diesel? Já há 15 cidades que os baniram

A pensar nas diretivas do Acordo de Paris, várias cidades europeias já anunciaram restrições à circulação de veículos a diesel e, a partir de 2025, prevê-se que a proibição se estenda aos restantes modelos de automóveis.

Gleb Garanich/REUTERS

As diretivas do Acordo de Paris obrigam a que sejam reduzidas as emissões de CO2 para garantir que a temperatura não sobe mais de 1,5 graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais. A pensar nisso, várias cidades europeias já anunciaram restrições à circulação de veículos a diesel e, a partir de 2025, prevê-se que a proibição se estenda aos restantes modelos de automóveis.

Até 2025, as restrições a serem aplicadas dizem respeito a veículos a gasóleo ou gasolina mais antigos e mais poluentes. Este tipo de proibição já existe em Lisboa, por exemplo, onde, desde janeiro de 2015, os carros com matrículas anteriores a 2000 passaram a estar proibidos de circular, entre as 7h e as 21h dos dias úteis, no eixo da Avenida da Liberdade à Baixa. Também os carros com matrículas anteriores a 1996 ficaram impedidos de circular na Avenida de Ceuta, Eixo Norte-Sul, Avenidas das Forças Armadas, dos Estados Unidos, Marechal António Spínola, do Santo Condestável e Infante D. Henrique.

No entanto, várias cidades decidiram ir mais além e, em vez de restringirem a circulação a apenas alguns veículos querem impedir por completo a circulação de todos os modelos de automóveis. Entre as cidades que aderiram a esta medida estão: Paris (França), Bruxelas (Bélgica), Londres e Oxford (Reino Unido), Madrid (Espanha), Atenas (Grécia), Roma, Milão e Turim (Itália), Berlim, Hamburgo, Estugarda e Munique (Alemanha), Oslo (Noruega) e Copenhaga (Dinamarca).

Recomendadas

Renda acessível. Câmara de Lisboa vai propor novo modelo até ao final do ano

Fernando Medina referiu que o novo modelo “não é o original”, mas notou que “é o possível” neste momento, não adiantando mais pormenores acerca da proposta que submeterá à apreciação do executivo.

Maioria dos consumidores “digitais” não abdica de visitar uma loja física para ver o artigo

Os jovens consumidores portugueses, geração entre os 18 e os 34 anos, gostam de procurar os produtos online, mas depois compram-nos na loja física. Apesar de preferirem mais as compras em lojas físicas do que os seus pares europeus, os millennials portugueses são os que mais referem interagir com os retalhistas nas redes sociais.
Comentários