Vanguard diz que “é inoportuna” a iniciativa de Louis-Albert de criação da associação pela defesa ambiental da Comporta

O responsável pela Vanguard Properties reagiu à iniciativa do seu concorrente, o príncipe francês Louis-Albert de Broglie, de criar a associação Comporta.Utopia – Associação para a Sustentabilidade da Comporta, para garantir que serão respeitados os valores ecológicos na Comporta. Uma notícia que foi avançada pelo Expresso.

José Cardoso Botelho, Managing Director da Vanguard Properties, reagiu no Linkedin à notícia avançada esta quinta-feira pelo Expresso de que Louis-Albert de Broglie (um dos concorrentes à compra dos ativos o Fundo da Herdade da Comporta) está na origem de uma associação criada para evitar que do processo de venda resulte a destruição do ambiente natural. Uma petição que já foi enviada ao Presidente da República,segundo o Expresso.

“Boa ideia. Talvez o amigo Louis-Albert aceite integrar o nosso futuro conselho consultivo para as áreas do ambiente, biodiversidade, comércio tradicional e educação. Por ora, enquanto concorrentes  parece-nos inoportuno lançar publicamente esta iniciativa vinte dias antes da entrega final das propostas, parecendo visar condicionar os participantes do Fundo”, diz José Cardoso Botelho, que lidera a Vanguard Properties de Claude Berda, que está no consórcio com a Amorim Luxury na corrida à compra dos ativos da Herdade da Comporta.

“É curioso [que o consórcio de Louis-Albert de Broglie] tenha, no passado dia 26 de julho, aumentado a sua oferta para  159 milhões de euros, reduzindo 6,66 vezes a área construída – o que significaria que os espaços destinados a construir casas, teriam preços exorbitantes , venha agora criar esta associação, quando há 25 anos que visita a Comporta”, diz.

“Por fim, foi desnecessário trazer duas cabanas de Bali (com desenhos budistas), dizendo ser oriundas de Timor e as instalar em terrenos de terceiros (Herdade), nos Brejos, e ainda de contentores transformados em quartos. Tudo excelentes as iniciativas que visam preservar o meio ambiente”, diz o responsável pela Vanguard Properties que concorre com o príncipe francês pela compra dos ativos do Fundo que estão em concurso a ser conduzido pela Deloitte.

Louis-Albert é um dos três candidatos ao anterior processo de venda dos ativos do Fundo gerido pela Gesfimo que assinou a documentação que lhe permite voltar a candidatar-se ao novo concurso. Está com a Global Asset Capital e o grupo Bonmont. Segundo o Jornal Económico sabe tem ainda o apoio financeiro do Crédit Agrícole.

Segundo o Expresso foi constituída esta quinta-feira a associação Comporta.Utopia – Associação para a Sustentabilidade da Comporta, que se propõe ter um papel ativo no processo de venda e do desenvolvimento que vier a ser feito na Herdade da Comporta, para garantir que serão respeitados os valores ecológicos “no interesse nacional e de longo prazo para o território”. Esta associação também já criou uma petição pública com este objetivo, que já foi enviada ao presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A associação civil foi mobilizada por Louis-Albert de Broglie, o príncipe francês que apresentou uma das três propostas para a compra da Comporta antes de o processo ter sido encerrado em Assembleia de Participantes do Fundo da Herdade da Comporta.

A Gesfimo pôs agora os ativos à venda através da Deloitte e os interessados têm de fazer uma oferta em envelope fechado e entregar no dia 20 de setembro na presença de um notário.

Na sua proposta, segundo o Expresso, Louis -Albert prevê o desenvolvimento de apenas 16% dos 650.000 metros quadrados de construção aprovados na Comporta, atendendo à “fragilidade dos eco-sistemas do território”, e a criação de oito centros de qualificação para dinamizar a economia local, dedicados à agricultura biológica, incubação de startups, reciclagem, arte, escolas ou conferências.

O candidato quer com esta associação fazer pressão para garantir que o projeto vencedor na Comporta respeita os objetivos de baixa densidade de construção, a par da criação de economia e emprego para a população.

A Associação Comporta.Utopia diz que quer estar presente em todas as diligências ao nível do processo da venda em nome da sociedade civil. Esta associação cujo site vai estar no ar na próxima sexta, segundo o Expresso, tem a presidi-la Pedro Bingre Amaral, professor de Coimbra.

Ler mais
Recomendadas

Presidente promulga novo modelo de gestão de faixas horárias nos aeroportos

Marcelo Rebelo de Sousa lamenta “prazo de um ano decorrido desde a discussão pública e a versão final do diploma” do Governo que procede à revisão do modelo de prestação dos serviços de atribuição de faixas horárias e de horários facilitados nos aeroportos nacionais.

Portugal sobe sete posições no ranking mundial de talento e está entre os 20 primeiros

Este ranking, desenvolvido pelo World Competitiveness Center do IMD (International Institute for Management Development), conta com a colaboração exclusiva, em Portugal, da Porto Business School.

Produção nacional de automóveis cresce em 2018. Nove em cada dez viaturas são para exportação

No acumulado do ano, até outubro, Portugal produziu cerca de 250 mil veículos, o que representa um crescimento de 80,3% face aos primeiros dez meses de 2017. Mais de 9 em cada 10 veículos produzidos em território nacional são para exportação.
Comentários